Desejo por São Paulo pode jogar conta do "Fielzão" no colo da Fifa

Entidade nega que colocará dinheiro no estádio da abertura da Copa 2014

A diferença de R$ 200 milhões que será necessária para viabilizar a ampliação do projeto do estádio do Corinthians em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo, para a abertura da Copa do Mundo de 2014 deverá ser paga pela iniciativa privada. Inicialmente avaliado em R$ 400 milhões, o custo da obra deve chegar a R$ 600 milhões.

Apesar da negativa oficial da Fifa (Federação Internacional de Futebol Association), a entidade deve ajudar na busca por investidores ? parceiros diretos e indiretos serão procurados nos próximos meses com convite para colaborar com promessa de retorno institucional ligado ao Mundial no Brasil

Dois são os motivos que farão a Fifa, segundo duas pessoas envolvidas no projeto, se envolver para que o estádio em Itaquera saia do papel com 65 mil lugares e toda a infraestrutura de hospitalidade, mídia e estacionamento (veja os detalhes do projeto aqui): o primeiro é que a entidade faz questão que a abertura seja em São Paulo, centro econômico do Brasil.

Apesar de ter deixado no ar as possibilidades de Belo Horizonte, Brasília e até Salvador, nunca houve plano B. Desde 2007, quando o Brasil foi anunciado oficialmente como sede, a abertura seria na capital paulista e a final no Rio de Janeiro. A procura por patrocinadores foi feita com esta divisão bem detalhada.

O segundo motivo é que a entidade reprovou o Morumbi, que por três anos foi a única opção em São Paulo. Por isso foi preciso uma alternativa B, quase em cima da hora, que nem ficará pronta a tempo da Copa das Confederações, em junho de 2013. Se as obras começarem em março de 2011, o estádio em Itaquera estará finalizado no último trimestre de 2013. A Fifa teria obrigação em não transformar em mico um campo que ela aprovou.

Fonte: IG