Diário Oficial antecipa Fla e revela acordo de R$ 25 mi com a Caixa

Apesar do valor de R$ 25 milhões, o clube ainda tenta elevar o patrocínio para R$ 30 milhões.

O patrocinador que o Flamengo está prestes a anunciar é mesmo a Caixa Econômica Federal. O Diário Oficial da União desta quinta-feira publicou autorização para o contrato de R$ 25 milhões entre o time da Gávea e a estatal (ver imagem abaixo). Na última terça, o UOL Esporte revelou que o rubro-negro aguardava a publicação para comentar as negociações. O vínculo ainda não está assinado e depende da aprovação do Conselho Deliberativo do clube.

Apesar do valor de R$ 25 milhões, o clube ainda tenta elevar o patrocínio para R$ 30 milhões. O montante atual foi fechado na última terça, quando o clube convocou reunião extraordinária de seu Conselho Deliberativo. Quando o valor real vazou, no entanto, membros da diretoria e conselheiros se mostraram profundamente desagradados com o resultado da negociação.



Para tentar acalmar os ânimos, a diretoria do Flamengo cancelou a reunião e deu início a uma nova rodada de negociação com a Caixa. Ainda existe a chance deste valor aumentar, mas, caso isto aconteça, a União teria de autorizar novamente o investimento feito sem licitação. Uma nova convocação do Conselho Deliberativo deve ser feita nos próximos dias.

A insatisfação por parte de conselheiros e dirigentes do Flamengo acontece pelo valor ser menor que os R$ 31 milhões pagos anualmente ao Corinthians. O entendimento é de que o Rubro-negro tem uma torcida maior e maior exposição na mídia e, por isso, mereceria um montante superior.

Nos bastidores, a diretoria do Flamengo argumenta que, proporcionalmente, o clube carioca receberia mais, já que o vínculo envolveria apenas o peito da camisa. O time paulista estampa a marca no peito e nas costas de seu uniforme.

Desejado desde 2012, quando a nova diretoria tomou posse, o acordo com a Caixa só será possível graças a conquista das Certidões Negativas de Débito (CND) - representando equacionamento de parte das dívidas fiscais junto ao governo ? por parte do Flamengo no último mês de março. Sem a posse do documento, o rubro-negro não poderia selar nenhum acordo com empresas estatais, já que teria as receitas bloqueadas por conta das dívidas com os poderes públicos.

Enquanto avança rumo a Gávea, a Caixa vive um impasse em sua relação com o Corinthians. O clube paulista não recebe sua parcela de R$ 2,5 milhões, do total R$ 31 milhões do contrato assinado no ano passado, há três meses. A estatal teve de suspender o pagamento para atender a ordem da Justiça Federal do Rio Grande do Sul, que concedeu liminar ao advogado gaúcho Antônio Beiriz, que no ano passado entrou com uma ação civil pública alegando que o acordo pode causar danos ao erário.

O contrato de patrocínio é o segundo costurado pela atual diretoria do Flamengo. No início do ano, a gestão de Eduardo Bandeira de Mello já havia firmado acordo com a Peugeot, que já estampa sua marca no uniforme do clube. O Rubro-negro também está em negociações com uma outra empresa, que pagaria R$ 10 milhões pelas mangas da camisa da equipe.

Fonte: UOL