Diretor do Palmeiras é acusado de ser cambista após confusão

Informalmente, sócios e conselheiros apontam Piraci de Oliveira, diretor jurídico do clube, como o responsável pela confusão.

A venda de ingressos para a torcida do Palmeiras na final da Copa do Brasil, em Curitiba, virou um grande mistério no Palestra Itália. Informalmente, sócios e conselheiros apontam Piraci de Oliveira, diretor jurídico do clube, como o responsável pela confusão, fato que tem gerado informações desencontradas e muitas reclamações de torcedores em torno da comercialização feita pela equipe paulista.


Diretor do Palmeiras é acusado de ser cambista após confusão

"O Piraci é um brincalhão. O que ele fez foi repassar todos os ingressos para a revenda antecipada. Aí anunciaram que estava esgotado. Depois, com a revolta, ele (Piraci) recuperou 1,5 mil que ainda não tinham sido vendidos e fingiu que conseguiu aumentar a carga. É o cambista do Palmeiras", disse um conselheiro da oposição, que não quis se identificar com medo da punição interna por atacar um diretor.

Inicialmente, 4 mil ingressos teriam sido vendidos em menos de um minuto pelo site FutebolCard, parceiro do Palmeiras e responsável pelas vendas. Depois, o diretor jurídico Piraci de Oliveira anunciou que a carga havia aumentado e que mais 1,5 mil bilhetes seriam comercializados. Em menos de dez minutos, todos foram novamente vendidos.

O detalhe, no entanto, é que o Coritiba anunciou, por meio de seu superintendente administrativo, João Rodolfo Leite Doth, que a carga não foi alterada em nenhum momento e que apenas 4 mil foram repassados ao Palmeiras.

?Não, a gente não aumentou nada. Eu vi essa especulação, mas nós demos os 4 mil e eles comercializam conforme a vontade deles, não temos nada a ver com isso?, disse Doth.

O detalhe é que a venda de ingressos já havia começado antes mesmo de o site abrir, à 0h de segunda-feira. Sites de vendas coletivas, agências de turismo e torcidas organizadas ofereciam pacotes. Na TUP, por exemplo, o pacote com caravana e entrada no estádio custava R$ 160 desde o momento da classificação.

Além disso, grupos de conselheiros e sócios já haviam recebido a garantia de que conseguiriam as entradas para o jogo antes mesmo do FutebolCard iniciar a comercialização. A promessa foi cumprida.

Piraci se defende de todas as acusações sem explicar como conseguiu os ingressos extra. "Quando eu disse (na semana passada) que eu havia conseguido trem da CPTM até 1h, aumentando em uma hora o tempo de funcionamento, ninguém acreditou e o trem funcionou. Agora, quem não quer acreditar que temos 5,5 mil lugares, que contem no Couto Pereira".

Fonte: UOL