Diretoria do Fla se irrita com comportamento de Ronaldinho, mas evita falar em saída

Diretoria do Fla se irrita com comportamento de Ronaldinho, mas evita falar em saída

Com multa rescisória de mais de R$ 300 milhões, uma saída só aconteceria se chegasse uma proposta interessante para o jogador.

Se Ronaldinho Gaúcho não possui o mesmo prestígio com a torcida do Flamengo de outrora, entre a diretoria rubro-negra o cenário não é muito diferente. O comportamento do jogador não tem agradado à cúpula, que nos bastidores ad-mite estar refém do camisa 10. A insatisfação com Ronaldinho passa pelas suas atuações oscilantes, uma agitada vida noturna, falta de empenho nos treinamentos e omissão dentro e fora de campo.

? Não há o que fazer e, de certa forma, todos nós acabamos reféns dele ? constatou um dos membros da cúpula do Flamengo, não escondendo o descontentamento com as atitudes ? ou a falta delas ? de Ronaldinho.

Com multa rescisória de mais de R$ 300 milhões, uma saída só aconteceria se chegasse uma proposta interessante para o jogador. Ronaldinho não vem fazendo o que se esperava dele. É o capitão do time, mas não tem exercido o papel de líder. Em reunião recente com a presidente Patricia Amorim, na qual ela cobrou melhores resultados, quem pediu a palavra foi Deivid. Antes dos jogos, em preleções e rápidas conversas, é Vagner Love o responsável por palavras de incentivo.

Ciente das ausências e da falta de empenho de Gaúcho, a diretoria deu carta branca ao técnico Joel Santana para que, caso seja necessário, tome medidas mais enérgicas. Mas assim como a cúpula, ele é refém do craque. Experiente, o treinador evita qualquer tipo de colisão com o astro. Joel foi contratado não só por seu currículo vitorioso, mas também pela fama de saber administrar ambientes conturbados e com jogadores consagrados. Além disso, sabe que um dos motivos que fez Vanderlei Luxemburgo, seu antecessor, sair da Gávea foi o fato de ter entrado em conflito com o jogador.

Fonte: Lancepress!