Dirigente cobra Traffic sobre situação de R10 no Flamengo

Vice de finanças Michel Levy diz que clube não pode mais esperar para definir a permanência do jogador

A corda esticou de vez, mas ninguém quer largar o seu lado. Ainda em busca de um acordo que garanta o pagamento dos quatro meses de salários atrasados de Ronaldinho, num total de R$ 3 milhões, Flamengo e Traffic não conseguem dar fim ao jogo de empurra. Nesta terça-feira, o vice de finanças do clube, Michel Levy, disse que a situação chegou ao limite. Em tom de ultimato, o dirigente cobrou uma definição da empresa de marketing esportivo sobre o caso.

- O Flamengo quer que a Traffic continue sendo sua parceira, mas não há mais como ficar nesta situação. O clube tem cumprido com a sua obrigação e espera uma posição da empresa até o fim deste mês. Não há mais como esperar. A Traffic tem de definir se fica ou sai do negócio - afirmou, por telefone.

Quando diz que o clube cumpre com sua obrigação, Levy se refere ao pagamento de R$ 250 mil mensais ao camisa 10, que ocorre normalmente. Cabe a ressalva: em caso de atraso da parte do clube, a Traffic é a fiadora.


Dirigente cobra Traffic sobre situação de R10 no Flamengo

De acordo com o dirigente, o Rubro-Negro precisa de uma definição da parceira para definir uma forma de sustentar o negócio. Apesar de o jogador ter contrato até o fim de 2014, a permanência é um ponto de interrogação.

- Temos três opções. Entrar num acordo e resolver isso, buscar outros parceiros ou desistir. Só não podemos continuar com essa novela - disse, sem dar detalhes sobre as opções de novas parcerias.

As partes rediscutem o acordo há semanas e tentam, sem sucesso, assinar um contrato. Onze meses depois da chegada do jogador, é um memorando que sustenta o negócio. No documento firmado em janeiro, a empresa receberia percentual em todos os contratos de patrocínio do uniforme do clube a partir de R$ 30 milhões. Mas o acerto com a Procter & Gamble, de R$ 6,6 milhões por quatro meses, foi feito em agosto sem participação da Traffic. A agência responsável pela negociação foi a 9ine, que tem Ronaldo Fenômeno como um dos sócios e faturou 15% do valor.

Desde então, a Traffic, insatisfeita com a postura do clube, renegocia questões técnicas ligadas a patrocínios, licenciamento de produtos e ao futuro programa de fidelidade para o torcedor. A exclusividade no agenciamento de anunciantes do uniforme do clube e dos contratos publicitários individuais de Ronaldinho está praticamente resolvida. As reuniões realizadas foram pouco conclusivas sobre os demais pontos. Os próximos 15 dias são considerados decisivos para uma definição sobre a permanência do jogador.

Em entrevistas recentes, Assis passou a fazer críticas sobre a demora do clube para entrar em acordo com a parceira. Ele acompanha todos os detalhes da negociação e entende que a Traffic, por ter viabilizado a contratação do jogador, pode ser atendida.

No centro da polêmica, Ronaldinho demonstra tranquilidade ao comentar o assunto. Na noite de segunda-feira, na festa de premiação dos destaques do Campeonato Brasileiro, disse que quer ficar no clube, mas deixou claro que tudo depende do fim do imbróglio.

- Eu quero ficar, é só acertarem alguns detalhes. A questão financeira será resolvida. Fico feliz pelos meus companheiros e vivo num ambiente maravilhoso. Já me vejo disputando a Libertadores e isso vai pesar muito. Meu objetivo é ficar aqui em 2012, pois o Flamengo tem tudo para conquistar grandes títulos e eu quero fazer parte disso.

Fonte: G1