Djokovic bate Berdych e mantém sonho sérvio de bi na Copa Davis

Djokovic bate Berdych e mantém sonho sérvio de bi na Copa Davis

Djoko bateu Tomas Berdych neste domingo, por 3 sets a 0 (6-4, 7-6(5) e 6-2) e o quinto e último jogo do duelo decidirá o campeão da Davis neste ano.

Novak Djokovic declarou durante todo o ano de 2013 que um de seus principais objetivos era dar o bicampeonato da Copa Davis para a Sérvia. Na decisão contra a República Tcheca, ele fez o que dele se esperava: venceu os dois duelos de simples e manteve sua equipe na briga após quatro jogos. Djoko bateu Tomas Berdych neste domingo, por 3 sets a 0 (6-4, 7-6(5) e 6-2) e o quinto e último jogo do duelo decidirá o campeão da Davis neste ano.

A última partida terá tenistas de gerações opostas duelando: pela Sérvia, o jovem Dusan Lajovic, 23 anos, jogará sua terceira partida de Davis na vida. Pela República Tcheca, Radek Stepanek, 34 anos, tentará ser o protagonista do título tcheco pelo segundo ano seguido.

Em 2012, os tchecos derrotaram a Espanha na final também no 5° jogo: Stepanek bateu Nicolás Almagro em quatro sets e deu o primeiro título da República Tcheca com esse nome - antes, já havia conquistado uma Davis como Tchecoslováquia.

Porém, antes da decisão, Djokovic mostrou porque sempre que pode dá preferência aos jogos da Copa Davis, mesmo cansado pela sequência de torneios da ATP. Com a torcida surpreendentemente dividida em Belgrado (muitos tchecos viajaram os mais de 900 km entre os países), era Djoko que, a cada ponto mais importante ou set vencido chamava a torcida para o jogo, com muita vibração e gritos.

Ele também mostrava mais irritação com erros do que o normal, chegando a quebrar uma raquete durante o segundo set, dando o tom do clima de Copa Davis tão falado por quem é fã de tênis.

Com a vitória, ele segue com o sonho de conquistar o segundo título de Davis da história da Sérvia: com ele na equipe, os sérvios levaram a taça em 2010, ao bater a França na decisão.

Djokovic bateu Berdych em sets diretos, mas poderia ter sido ainda mais fácil o duelo se o sérvio aproveitasse as diversas oportunidades de quebra que obteve durante o jogo. Foram 11 no total, mas apenas duas foram aproveitadas (uma no primeiro, outra no terceiro set).

Só que a dificuldade de Djoko em fechar games foi solucionada por Berdych: foram 75 erros do tcheco ? com destaque para o tie-break do segundo set, quando Berdych errou três bolas seguidas de forma não-forçada quando vencia por 5 a 4, para Djoko virar em 7 a 5.

Fonte: UOL