Dodô e Marcelinho Paraíba viram referências na Série B

Sem espaço em Vasco e São Paulo no início da temporada, jogadores se tornam sinônimo de gols

De reforços frustrados a esperanças de gols e acesso, Dodô e Marcelinho Paraíba deixaram a elite rumo à Série B em busca de seu melhor futebol. Ao invés do banco de reservas que amargaram em Vasco e São Paulo, respectivamente, no primeiro semestre, a experiente dupla virou referência na segundona, dentro e fora dos gramados.

O artilheiro dos gols bonitos foi apresentado como grande nome do ataque cruzmaltino no início da temporada após cumprir uma longa punição por doping. O início foi animador, com direito a três gols na goleada por 6 a 0 sobre o Botafogo, na Taça Guanabara. Mas as fracas atuações em partidas decisivas e os dois pênaltis perdidos contra o Flamengo, no dia 15 de março, o tiraram da equipe titular (assista a lances da partida no vídeo abaixo).

Com o rompimento do vínculo em comum acordo com a diretoria, Dodô acertou contrato com a Portuguesa até dezembro, marcando seu retorno ao futebol paulista após dez anos. Especulado pelo Ceará, o atacante afirma que a proximidade com a família foi um fator decisivo para fechar com a Lusa.

- Eu estou com 36 anos e prefiro pensar a curto prazo. Eu sou de São Paulo e voltei para a minha terra, onde fico próximo da minha família. Isso pesou, além da estrutura da Portuguesa. Todos me receberam muito bem aqui, e isso te deixa feliz para trabalhar. Temos um bom time, jogadores de qualidade, e penso que podemos lutar pelo acesso e o título da Série B ? disse.



Em enquete realizada no site oficial do clube, o jogador foi apontado por 45% dos torcedores como o melhor reforço para a competição nacional. Aos 36 anos, o goleador marcou três gols em seus três primeiros jogos pelo time do Canindé, e virou referência também para os companheiros.

- É importante o respeito que eles (jovens jogadores) têm por mim, e isso faz com que eu tenha a obrigação de ser um exemplo para eles durantes os treinos, nos jogos. Não sou apenas eu, outros jogadores experientes do grupo fazem isso também ? afirmou.

Esperança Rubro-Negra em Recife

Destaque do Coritiba em 2009, Marcelinho foi um dos reforços do pacotão são-paulino para a Libertadores deste ano. Mas não conseguiu repetir as atuações que teve pelo Alviverde paranaense ou em sua primeira passagem pelo Morumbi, entre 1997 e 2000, e acabou sendo barrado pelo técnico Ricardo Gomes.

Sem chances no Tricolor, o jogador foi emprestado ao Sport até dia 31 de dezembro. Com o clube beirando a zona de rebaixamento, foi recebido pela torcida com status de salvador da pátria. E, na primeira oportunidade que teve de atuar na Ilha do Retiro, mostrou que não estava em Recife a passeio. Na goleada sobre o São Caetano, o meia atacante marcou um gol de falta e deu assistência para os outros três do Leão (assista aos lances no vídeo ao lado).

Desde a estreia do atleta, o Rubro-Negro pernambucano não perdeu mais e deu um salto na tabela. Agora, com 24 pontos, é o 11º colocado na classificação da Série B. Para Ciro, artilheiro da segundona com 12 gols, a chegada de Marcelinho foi um marco na campanha do clube.

- A diretoria está de parabéns pelo esforço que fez para trazê-lo. Ele é um jogador muito diferenciado, e sem dúvida faz o time evoluir junto com ele. É mais fácil fazer gols com ele em campo ? analisou.

O encontro de Portuguesa, Sport e suas estrelas acontece às 16h deste sábado, no Canindé, pela 19ª rodada da Série B. O atacante da Lusa, que ficou fora nas duas últimas rodadas devido a uma lesão muscular, está recuperado e foi liberado pelo departamento médico para entrar em campo.

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com