Duelo entre Brasil e Argentina hoje em Doha marca o reencontro de Ronaldinho Gaúcho e Messi em campo

Duelo entre Brasil e Argentina hoje em Doha marca o reencontro de Ronaldinho Gaúcho e Messi em campo

Por suas seleções, Ronaldinho e Messi se enfrentaram apenas em uma oportunidade

Ronaldinho Gaúcho e Lionel Messi marcaram época no Barcelona. Juntos, os dois ganharam títulos e se tornaram ídolos no clube catalão. Separados por conta da transferência do brasileiro, que foi para o Milan, os dois vivem momentos distintos na carreira quando o assunto é defender suas respectivas pátrias. Enquanto o brasuca busca o recomeço com a amarelinha, o argentino se firma como líder dos hermanos. E nesta quarta-feira, às 15h (de Brasília), em Doha, no Qatar, eles vão se enfrentar no confronto entre a renovada Seleção de Mano Menezes e a Argentina do efetivado Sergio Batista.

Por suas seleções, Ronaldinho e Messi se enfrentaram apenas em uma oportunidade. Nas Olimpíadas de 2008, em Pequim, a Argentina atropelou a Seleção e venceu por 3 a 0, pelas semifinais do torneio. No fim, os hermanos conquistaram a medalha de ouro. Agüero, genro de Maradona, e Riquelme fizeram os gols. Curiosamente, o mesmo Bastista que comandará a equipe em Doha nesta quarta-feira dirigia o time campeão olímpico.

Em agosto, pelo troféu Juan Gamper, os dois se reencontraram em seus respectivos clubes no duelo entre Milan e Barcelona. Mas por poucos minutos. Messi e Ronaldinho estiveram em lados opostos do gramado do Camp Nou por apenas 14 minutos. Enquanto o argentino entrou em campo aos 17 minutos da etapa final, o brasileiro deixou o gramado aos 31.

E Messi levou a melhor. No tempo normal, empate por 1 a 1. Nos pênaltis, triunfo do Barcelona por 3 a 1. Porém, no fim, o capitão Puyol e todo o time catalão homenagearam Ronaldinho Gaúcho com a taça do torneio. O atleta ainda recebeu o carinho dos torcedores espanhóis que lotaram o Camp Nou.

O atacante do Milan conversou com a imprensa nesta terça-feira, em Doha. Animado com o seu retorno à Seleção, Ronaldinho prometeu para os torcedores o jogador que todos acostumaram a apreciar nos últimos tempos. Além disso, ele já traçou objetivos para o futuro.

- O sentimento é de muita alegria de poder voltar à Seleção. Estou muito motivado e é esse o Ronaldo que vocês vão ver em campo. Penso em voltar e ficar até a Copa do Mundo. Esse período que fiquei longe serviu para me motivar ainda mais. A próxima Copa é no Brasil e todos sonham jogar em seu país, tem essa possibilidade e a minha meta é essa.

Por outro lado, buscando assumir de vez a liderança da seleção argentina, Messi relembrou que nunca venceu o Brasil atuando pela seleção adulta. Para o jogador, a história precisa mudar.

- Nunca venci o Brasil com a seleção adulta. Perdi a final da Copa América na Venezuela e já é hora de vencê-los - afirmou o argentino.

Mano aposta em equipe ofensiva para vencer os rivais e se manter invicto

O treinador brasileiro não fez mistério para montar a equipe para o confronto diante dos hermanos. Seguindo a filosofia de atuar de forma ofensiva, Mano apostou em um ataque formado por Ronaldinho, Robinho e Neymar. No meio-campo, Elias, destaque nos amistosos contra o Irã e a Ucrânia, em outubro, vai ser titular. O setor defensivo é o mesmo das três primeiras partidas da Seleção sob o comando do técnico.

Mano sabe muito bem que para vencer o jogo a equipe precisará surpreender os hermanos. Na opinião do treinador, a formação desta quarta-feira tem tudo para vencer e apresentar um bom futebol para animar o torcedor brasileiro.

- Continuamos pensando que ganhar é importante, mas me parece que precisamos oferecer mais do que a vitória. Não é possível fazer isso sempre, mas vamos trabalhar para vencer, jogar bem e oferecer para o torcedor do mundo todo aquilo que ele sempre viu na Seleção Brasileira.

Efetivado, Batista sonha com triunfo para se firmar de vez no cargo

sergio batista no treino da argentinaSergio Batista vai encarar o Brasil pela primeira vez desde que assumiu a Argentina (Foto: Reuters)

Mesmo o atual retrospetco da Argentina, de não conseguir vencer o Brasil o há cinco anos - o último triunfo foi em 2005 - o técnico Sergio Batista acredita que não ficará ameaçado no comando da equipe. Segundo ele, o trabalho está apenas começando.

- Não acredito que um resultado contrário provoque algo em minha posição (como técnico da seleção), já que fui confirmado no cargo há duas semanas e nosso objetivo é a Copa do Brasil, em 2014 - afirmou o treinador.

De 2005 até o confronto desta quarta-feira, Brasil e Argentina se enfrentaram em cinco oportunidades. Foram quatro triunfos canarinhos e apenas um empate. Na última partida, em Rosário, pelas eliminatórias para a Copa do Mundo da África do Sul, a Seleção venceu por 3 a 1 e quase sacramentou a eliminação dos hermanos do Mundial.

Com todos esses ingredientes, o confronto desta quarta-feira promete ser uma batalha. Mas, no final, no terceiro encontro de Ronaldinho Gaúcho e Messi, quem levará a melhor? O experiente e genial brasileiro ou o craque hermano? A resposta? A partir das 15h, em Doha.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com