Dueto brasileiro fica em 3º e leva o bronze no nado sicronizado

O dueto brasileiro foi o sexto a entrar na piscina do Centro Aquático Scotiabank

Como era esperado, Lara Teixeira e Nayara Figueira conseguiram, nesta quinta-feira, a primeira medalha do Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara no nado sincronizado. O bronze veio após uma animada rotina livre, avaliada com 88.913 pontos que, somados aos 88.500 da rotina técnica, resultaram na pontuação final de 177.413. A prata ficou com os Estados Unidos, que somaram 179.463 pontos. Favoritas, as canadenses garantiram o ouro com 188.988 pontos no total.

O dueto brasileiro foi o sexto a entrar na piscina do Centro Aquático Scotiabank, logo após a equipe mexicana, que brigava pela terceira colocação. Com 87.125 pontos na rotina técnica da última terça-feira, a dupla local somou mais 86.538 na competição livre, pontuação novamente inferior à de Lara e Nayara, que esperavam, mesmo, superar os Estados Unidos.

"Foi o que a gente estava falando, o bronze não é uma coisa que deixa a gente triste. É uma medalha que tem que ver o nosso mérito, a gente treinou muito. Realmente não foi o objetivo final, que era a prata, para passar os Estados Unidos, mas a gente vai voltar, vai treinar mais. Acho que o esporte é isso, a gente tem que saber perder e saber ganhar", afirmou Lara.

Ela e Nayara ficaram na área da piscina após a apresentação para esperar a exibição das americanas e ver como elas seriam avaliadas. Quando a nota de Mariya Koroleva e Mary Christene Killman, 89.338 pontos, foi exibida no placar, o dueto brasileiro expressou desapontamento, já que havia a expectativa de uma segunda colocação.

"É um pouco um baque, porque acho que a gente tinha esperança até o final, apesar ter começado atrás. Um baque de a gente ver que não foi desta vez de novo. Mas acho que nós também temos que comemorar porque o bronze é muito suado, é muito treino para estar aqui no Pan-Americano, que é uma competição muito acirrada", completou a nadadora brasileira.

A tradicional equipe americana teve uma performance segura, bem avaliada pelos juízes e acabou com a prata, um pouco a frente do Brasil, mas distante do Canadá, que sobrou e conseguiu o ouro.

Ao som de Metallica, Marie-Pierre Boudreau e Elise Marcotte realizaram uma apresentação dinâmica e com muita energia. A arbitragem não hesitou e concedeu às canadenses a maior nota da competição até agora: 94.988 pontos.

Na próxima sexta-feira será disputada a rotina livre do nado sincronizado em equipes. O Brasil é candidato a mais uma medalha, depois de encerrar a rotina técnica na terceira colocação.


Dueto brasileiro fica em 3º e leva o bronze no nado sicronizado

Fonte: Terra