Dunga fala sobre jogo com Portugal

Logo na primeira fase da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, o Brasil encara adversários difíceis

Logo na primeira fase da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, o Brasil encara adversários difíceis: Costa do Marfim e Portugal, além da Coreia do Norte, talvez o único mais fraco do Grupo G. No entanto, isso não é um fato a se lamentar, ao menos para o treinador da seleção brasileira. Para Dunga, isso pode ser bom para aumentar a concentração.

Em entrevista na zona mista, logo após o sorteio das chaves da Copa, o comandante comentou ainda sobre o confronto contra Portugal. "É Brasil contra Brasil", disse, referindo-se à quantidade de brasileiros que jogam nessa seleção. Dunga falou também a respeito dos locais onde o Brasil jogará e sobre os adversários.

Grupo

- É um grupo complicado, temos que respeitar todos os adversários. É também equilibrado, mas claro que temos condições. Isso é bom, porque, antes, todo mundo fica falando, tem muita euforia. Assim os jogadores ficam mais ligados, reduzindo essa euforia. Muita gente pensa que, quando o Brasil joga, a vitória é obrigação. Mas nós temos o dever de trabalhar e buscar o resultado, como qualquer outra seleção. Com esse grupo, é melhor, porque fica todo mundo mais atento.

Os outros grupos

- Estão todos muito equilibrados. Talvez a Espanha tenha uma certa vantagem, pois a chave tem equipes que podem ser mais fáceis.

Portugal

- É Brasil contra Brasil*. Temos muitos brasileiros nessa seleção. Sem dúvida que será um jogo emocionante, que temos que estar preparados.

* Na seleção portuguesa jogam: o atacante Liedson, o meia Deco e os zagueiros Pepe e Bruno Alves (sobrinho de brasileiros).

Locais dos jogos

- Em termos de logística, de trabalho, foi bom, porque podemos ter mais tempo para trabalhar, viajar menos. É uma condição boa e que temos que usar a nosso favor. Era o que gostaríamos. Bom, porque jogamos dois jogos no mesmo local, um fora e, se conseguirmos o primeiro lugar no grupo, voltamos para Johanesburgo.

Adversários

- A Coréia a gente conhece poucos. Mas uma seleção que volta a disputar uma Copa do Mundo depois de tantos anos fora mostra que houve uma evolução no seu futebol. O primeiro jogo tem sempre nervosismo, mas precisamos começar ganhando para já encaminhar nossa classificação. Na Costa do Marfim, tem o Drogba, que é um dos melhores jogadores do mundo. Um dos três, quatro melhores da Europa. O negócio é a gente se preparar bem na primeira fase.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com