Dunga rasga elogios a Ronaldo

Bastaram dois gols e 136 minutos em campo pelo Corinthians para Ronaldo ser o principal assunto da coletiva de Dunga

Bastaram dois gols e 136 minutos em campo pelo Corinthians para Ronaldo ser o principal assunto da coletiva de Dunga, nesta quinta-feira, após a convocação para os jogos contra Equador e Peru, pelas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. O treinador encarou com naturalidade as perguntas se o Fenômeno teria ou não condições de voltar à seleção. Tranquilo, Dunga disse que está torcendo pelo sucesso de Ronaldo neste retorno aos gramados. Mas considera muito cedo para se cogitar a volta do atacante à seleção .

O treinador lembrou que o torcedor é movido pela paixão pelo futebol. Por isso, o mesmo Ronaldo que foi questionado na seleção após a Copa de 2006 passa ser visto de uma outra forma agora. E ele está pronto para viver com os pedidos por uma futura convocação do Fenômeno.

- Vou lidar com tranquilidade. Estou torcendo como todos os brasileiros pelo Ronaldo. Futebol é uma coisa fantástica. Em 2006 ele teve outro tipo de tratamento. Agora ele tem o tratamento que merece. Fico feliz que ele tenha voltado e fazendo gols. É o que ele mais sabe fazer. É a mesma história do Romário. O que mais sabe fazer é gols.

Dunga preferiu não falar sobre a forma física de Ronaldo. Apesar de estar visivelmente ainda com uns quilinhos a mais, o treinador disse que não tinha informações precisas para comentar o assunto. E deixou as portas da seleção abertas para o Fenômeno se ele voltar a ser o jogador dedicado da Copa de 2002.

- Quem pode responder (se ele está acima do peso) é o preparador físico e o médico (do Corinthians). Não estamos trabalhando diariamente com ele. Na hora que acharmos que o jogador está atuando bem, que está em condições, nós vamos chamar. O Ronaldo não precisa provar nada a ninguém.

Dunga considera normal neste momento a "Ronaldomania" e os pedidos para o atacante voltar à seleção para a Copa de 2010. Aos 32 anos, o atacante é o maior artilheiro da história dos Mundiais.

- Não são pelos dois gols. É pela trajetória dele. E futebol é emoção, é paixão. Na hora é assim, mas depois com o passar do tempo vai diminuindo e ficando de outra forma.

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com