Dupla usa experiência em estreia no Piocerá na modalidade UTV

A competição de UTV no Brasil é relativamente nova e somente em 2012 que algumas provas abriram vagas para duplas, especialmente de velocidade

A dupla formada pelo piloto Leônidas Escobar, natural do Rio Grande do Sul, e o navegador piauiense Peter Ferreira está afinada para a estreia na modalidade UTV do Rally Piocerá, que acontece de 20 a 25 de janeiro, entre Teresina, Piauí, e Fortaleza, Ceará. Estreia mesmo só na modalidade, que é a primeira vez que é inserida no evento, que vai para sua 26ª edição. A dupla, no entanto, acumula larga experiência em competições off-road. Peter, de 53 anos, comemora este ano a sua 25ª participação no Piocerá ? Cerapió, da qual ele são não marcou presença na primeira, em 1987.

A competição de UTV no Brasil é relativamente nova e somente em 2012 que algumas provas abriram vagas para duplas, especialmente de velocidade. O UTV é um veículo robusto, meio carro 4x4, meio quadriciclo, tipo side-by-side, que vem sendo a sensação dos amantes dos esportes fora de estrada. O modelo da dupla, inscrita pelo estado do Piauí, é um Can-Am de mil cilindradas. Nos treinos, Escobar e Ferreira já percorreram mais de 700 km de trilhas, para testar o desempenho da máquina que promete atrair os olhares do público e dos parceiros de rali. A modalidade UTV é homologada em competições pela Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM).

O carro é 100% off-road, não podendo trafegar em vias públicas, tem tração nas quatro rodas, cuja sigla em inglês significa Utility Task Vehicle (multitarefas), possui quase tudo que um 4x4 normal tem, como volante, banco com cinco de cinco pontos e pedais, assentos para piloto e navegador, sistema de motorização bem parecido com um carro normal, mas é aberto, tendo a dupla que utilizar uniforme de proteção e capacete. É um carro de alta performance, pesa em média 680 quilos, portanto, um veículo leve, tendo a vantagem de ter alta potência e desempenho, velocidade de até 120 km/hora, ótima suspensão, pronto para encarar terrenos inóspitos, como lama, pedregulho, e mede apenas 1,25m de cumprimento.

A meta da dupla: ser campeã. ?Já pegamos planilhas de enduros anteriores, inclusive de prova de quadriciclos, e só em um dia fizemos 190 quilômetros, concluindo todo o percurso, entre o Natal e Ano Novo. Nossa meta é ganhar e por isso estamos nos adaptando às peculiaridades do carro?, disse Peter, que é um dos poucos competidores nesses 25 anos de Piocerá a abocanhar dezenas de troféus. Para se ter uma ideia, em suas 25 participações não houve uma sequer que ele não tenha subido ao pódio. Só de 1º lugar são 10 troféus, a maioria nas motos, mas tem também títulos nos carros regularidade e nos quadris. ?Meu primeiro troféu de campeão nos carros foi em 1998, navegando para o então deputado federal Ciro Nogueira, que hoje é senador. Eu tenho dez primeiros lugares, seis títulos de segundo lugar e outros de terceiro e quarto lugares?, informou. Seu primeiros título no Piocerá ? Cerapió foi na categoria moto duplas, que foi como começou o rali.

O navegador e piloto piauiense já participou do Enduro da Independência ? uma das competições de motos mais importantes do país, em 2006; do Enduro do Imperador, em Petrópolis, Rio; de vários enduros no Rio Grande do Norte, Ceará; do Enduro do Farroupilha, no Rio Grande do Sul; do Enduro do Porto ? entre Aracaju e Salvador, do Enduro do Descobrimento, na Bahia; e pretende participar em 2014 do Rally dos Sertões, ao lado do filho Pedro Emílio, que é piloto de moto e já participou em algumas edições do Rally Piocerá. Além disso, Peter fez em 2011 a Expedição do Dinossauro, na qual em companhia de amigos saiu de São Paulo até Teresina de moto. Engenheiro civil, é presidente da FMP há um ano e um dos dirigentes mais influentes da CBM, tendo participado de todas as reuniões, também ajudou a erguer o Teresina Trail Club (TTC), em 2008, levando de 10 para 123 o número de filiados. A FMP possui hoje 129 filiados.

O piloto Leônidas Escobar, que mora atualmente em Teresina, tem 49 anos e é um amante do esporte, especialmente dos 4x4. Já participou cinco vezes do Piocerá pela equipe maranhense Carcará, também no Mitsubishi Motors em Fortaleza e Natal e em varios no Maranhao. De volta ao rali, ele considera um evento importante para o país, pela sua grandeza e integração de participantes de outras regioes. ?Eu e o Peter já nos conhecemos há muito tempo e ja participamos de uma prova no estado. A expectativa é ótima e é a única dupla inscrita no Piauí, por enquanto. Na verdade o que estamos fazendo é experimentando o carro, desde a maneira de conduzi-lo ate a fazermos adaptacoes necessarias para este tipo de competicao, como adaptar a maneira de portar a planilha sem molhar, já que o carro é aberto, avaliando a calibragem de pneus, e o próprio carro estamos adaptando, por exemplo, internamente esquenta muito então buscamos uma fita para isolar o calor do escapamento e algumas outras mudanças. Por esperarmos muita chuva, vimos a necessidade de colocarmos snorkel, para evitar a entrada de água no motor?, disse.

O Rally Piocerá continua com inscrições abertas para carro 4x4, moto, quadriciclo, UTV e bike. Basta acessar www.cerapio.com.br/piocera2013 e garantir uma vaga.

Fonte: Assessoria