Ecclestone ameaça tirar GP de Mônaco da F1

Chefe comercial da categoria quer mais corridas na Ásia

Em entrevista ao jornal inglês The Independent, o chefão da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, ameaçou excluir o GP de Mônaco, disputado nas ruas de Montecarlo, do calendário. A tendência é a realização de mais corridas na Ásia e no Oriente Médio, mais rentáveis para os organizadores.

Segundo Ecclestone, cada etapa rende em média R$ 55,5 milhões. Mônaco não estaria rendendo nada.

- Os europeus têm de dar mais dinheiro ou iremos para outros lugares. Nós podemos viver sem Mônaco... Eles não pagam o suficiente.

O circuito de rua de Mônaco é um dos mais tradicionais da Fórmula 1 e foi incluído no calendário em 1950, ano de estreia da categoria. A dificuldade de ultrapassagens é uma marca da prova, que tem o brasileiro Ayrton Senna como o seu maior vencedor. O piloto, que morreu um acidente no GP de San Marino, em 1994, venceu em Montecarlo por seis vezes (1987, com a Lotus, 1989, 1990, 1991, 1992 e 1993, com a McLaren).

Fonte: R7, www.r7.com