Ecclestone prevê possível exclusão da Renault e fim da carreira de Nelsinho

Segundo o dirigente, mesmo que nada seja provado, o brasileiro terá problemas para continuar na F-1

O detentor dos direitos comerciais da F-1, Bernie Ecclestone, disse considerar que se a Renault for de fato considerada culpada no caso da suposta armação do acidente de Nelsinho Piquet no GP de Cingapura de 2008, que abriu a possibilidade para vitória de Fernando Alonso, a escuderia francesa deverá ser banida do esporte. Mais: para o dirigente, o piloto brasileiro deve ter sua carreira comprometida mesmo que as denúncias não sejam provadas, já que, segundo ele, o próprio Nelsinho seria o autor das denúncias.

"Eles [Renault] deixarem o esporte é um risco, obviamente. Quero dizer, eu espero que não seja assim, mas é o tipo de coisa que pode acontecer", disse Ecclestone em entrevista ao jornal britânico "The Times". "O que eu sei não é muito, para ser honesto. Tudo o que sei é que o Flavio [Briatore, chefe da equipe] insiste que não sabe de nada. Acho que a FIA [Federação Internacional de Automobilismo] já está cuidando de tudo. Eles estão tentando descobrir a verdade. Suponho que eles vão ficar bravos se descobrirem que o que as pessoas estão presumindo que seja verdade seja, de fato, verdade."

O acidente de Nelsinho na prova foi decisivo para a vitória de seu companheiro de equipe. Alonso foi para seu pit stop antes de todo mundo, pouco antes do acidente. Em seguida, foi beneficiado pela entrada do safety car na pista e acabou vencendo uma corrida em que teria poucas chances em condições normais.

Apesar das investigações da FIA, Ecclestone disse acreditar que será difícil provar que houve intenção da Renault de armar o acidente. "A única maneira de dizer que há um caso a ser resolvido é se houver evidência real", disse. "Se for apenas o jovem Piquet dizendo isso porque ele quer dizer, é uma coisa.Por outro lado, se houver algo de real, então é diferente. Será difícil de provar. Se houver algo no radio que diga "Err, Nelson, é melhor você bater agora" então que diabos eles [Renault] poderão fazer? Depende exatamente do que vier à tona nas investigações", opinou. Nelsinho, que teve vários problemas de relacionamento e trocas de farpas via imprensa com Briatore enquanto esteve na Renault --foi inclusive demitido por falta de resultados após o GP da Hungria deste ano--, foi descrito por Ecclestone como "um jovem homem raivoso".

Segundo o dirigente, mesmo que nada seja provado, o brasileiro terá problemas para continuar na F-1. "Você pode dizer com segurança que ele está com problemas agora. Você teria que pensar o que viria depois, não teria?", disse Ecclestone. Twitter Em sua página no Twitter, Nelsinho Piquet não comentou o caso nenhuma vez nos últimso dias. Nesta terça-feira, o piloto anunciou que fará uma viagem e que negocia seu retorno à F-1 para 2010. "As coisas estão andando bem pro ano que vem e eu não vejo a hora de guiar de novo",

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br