Em chegada ao São Caetano, atacante Jobson se irrita: "vai tomar no c..."

O problema aconteceu quando um repórter de TV procurou Jobson após a coletiva e perguntou se o atacante "estava limpo"

Jobson mudou de vida e de clube, mas o passado conturbado segue em sua cola. Depois de chegar 30 minutos atrasado em relação ao tempo estipulado pelo departamento de futebol do São Caetano, o atacante de 24 anos enfim se apresentou, no início da tarde desta sexta-feira, no estádio Anacleto Campanella. O jogador respondeu diversas perguntas durante a entrevista coletiva, mas se irritou com uma pergunta e até disparou um palavrão.

O problema aconteceu quando um repórter de TV procurou Jobson após a coletiva e perguntou se o atacante "estava limpo". Na resposta ele disparou: "Não estou entendendo sua pergunta. Você me passou alguma coisa? Por que falar sobre isso? Vai tomar no c...". Diante do jornalista atônito, o atacante saiu batido da sala de imprensa do Anacleto direto para a sala de musculação do clube. O empresário Antenor Joaquim acabou tendo que explicar o sentimento do jogador em relação à pergunta.

"O passado do Jobson tem uma marca, e isso mexe muito com ele. Ele precisa aprender a ser e não ter coisas na vida. Está pagando um preço alto buscando seu espaço. O Jobson precisa recuperar seu futebol e buscar ser homem, porque não deixou essa marca onde passou. A gente também precisa ver o lado humano", lamentou Antenor, que foi atrás do jogador após a confusão e garantiu sua profunda decepção com a nova polêmica.

Em busca de uma nova chance na carreira, Jobson já passou por oito clubes, mas é lembrado unicamente pela passagem no Botafogo, em 2009, quando se destacou no Campeonato Brasileiro, mas acabou sendo punido por doping. Após passar por tratamento, deixou a dependência, mas não se firmou em clubes como Atlético-MG, Bahia e Grêmio-SP. Antes disso, havia vestido as camisas de Brasiliense, Santa Maria e Jeju United, da Coreia.

"Vai ser uma experiência nova na minha vida, uma das melhores chances de mostrar que sou aquele Jobson de 2009, que todo mundo espera. Antes de assinar com o São Caetano, eu fiquei pensando em quantos times já passei, e eu tenho só 24 anos, mas parece que sou veterano. Agora é pensar em ter uma sequência boa, não de pular de time em time. Espero me dar muito bem aqui e voltar a ter um grande futebol", afirmou o atacante, que recusou propostas de PAOK, da Grécia, e Sporting de Lisboa para acertar com o São Caetano.

Além do assunto referido pelo repórter de TV, Jobson também evita falar sobre o Botafogo, equipe em que é querido pela torcida, mas na qual não conseguiu se firmar. "Prefiro deixar certas coisas de lado e pensar nos sonhos que eu tenho, de me destacar no São Caetano, ir para um grande clube de fora e quem sabe até jogar na Seleção Brasileira. Esse grupo é forte, quer chegar longe e o restante das coisas acontece naturalmente. Tenho que agradecer pela confiança e vou mostrar meu futebol".



Fonte: Terra