Carioca: Em clima de despedida, Dedé faz gol e pênalti, e Vasco vence o Quissamã por 3 x 1

Carioca: Em clima de despedida, Dedé faz gol e pênalti, e Vasco vence o Quissamã por 3 x 1

Vasco bate Quissamã por 3 a 1 e rebaixa adversário. Dedé admite proposta do Cruzeiro e pode não vestir mais a camisa cruz-maltina em São Januário

Arquibancadas quase às moscas, com 871 pagantes, podem ter testemunhado o último jogo de Dedé em São Januário neste sábado. E com gol, pênalti e vitória. O Vasco bateu o Quissamã por 3 a 1, pela penúltima rodada da Taça Rio, em jogo útil apenas para o técnico Paulo Autuori fazer observações - já que os cruz-maltinos foram a campo sem chances de classificação para as semifinais. Tenorio, outro com possibilidades de sair, fez o segundo, Thiaguinho marcou o terceiro e Gustavo descontou para o time do norte fluminense, em pênalti cometido por Dedé. Com a derrota, o Quissamã está rebaixado.

O próprio zagueiro admite ter uma proposta do Cruzeiro. Ele não se vê em condições de garantir que seguirá no clube. Reconhece a possibilidade de sair. Não por acaso, ouviu gritos de "Fica, Dedé" dos torcedores. Ao fazer o gol, beijou o escudo que defendeu a ponto de ganhar o apelido de "Mito".

- Meu nome está igual a uma bolinha de pingue-pongue, batendo lá e cá. O que sei de concreto é que tem uma proposta do Cruzeiro. Tenho um carinho especial pelo Vasco e procuro fazer minha parte da melhor maneira. Ainda não sei o que pode acontecer - afirmou o defensor.

O jogo foi um bom teste para o Vasco. O time deu sinais de evolução, especialmente no primeiro tempo. Autuori teve a chance de analisar alternativas - Nei na lateral esquerda, Thiaguinho na frente, Dakson mais liberado para chegar ao ataque. Com a vitória, o Gigante da Colina subiu para sete pontos, na quinta colocação do Grupo A. A equipe se despede do Campeonato Carioca no próximo sábado, contra o Madureira, fora de casa. O Quissamã, com apenas dois pontos, visita o Friburguense no domingo.

Usar a cabeça

O Vasco usou a cabeça no primeiro tempo. E não apenas para fazer os dois gols, com Dedé e Tenorio. Também usou para pensar. O time deu sinais de lucidez, algo tão raro na temporada, e foi capaz de trocar passes, elaborar jogadas, fazer infiltrações - em parte, graças à evidente fragilidade do Quissamã.

A equipe comandada por Paulo Autuori dominou o adversário. Só abriu o placar aos 32 minutos, mas poderia ter alcançado o gol bem antes. Dakson foi figura bastante ativa em campo. Arriscou dois chutes a gol, ambos defendidos pelo arqueiro rival. Também deixou Thiaguinho na cara do gol, mas o atacante chutou em cima do goleiro Ricardo. O próprio Thiaguinho, porém, foi eficiente ao colocar a bola na cabeça de Dedé. Livre, o zagueiro desviou e faz aquele que pode ter sido seu último gol pelo vasco. Em seguida, Tenorio, também de cabeça, em cruzamento de Bernardo, ampliou.

O jogo estava sob domínio absoluto do Vasco, mas aí Dedé falhou. Em disputa de bola com Marquinho, ele derrubou o adversário na área. Gustavo cobrou e descontou para o Quissamã.

Sob controle

O Quissamã não teve forças para reagir no segundo tempo. O Vasco seguiu superior. Teve o jogo sob controle. Ora com Dakson, ora com Bernardo, o time comandado por Autuori seguiu mais perto do gol do que seu adversário. Ricardo voltou a trabalhar para evitar um placar mais gordo. Romário, que foi a campo no intervalo, no lugar de Tenorio, foi mais um observado pelo treinador vascaíno. Apresentou boa movimentação. Filippe Souto e Pedro Ken entraram no decorrer da etapa final - nas vagas de Sandro Silva e Bernardo.

Quase no fim da partida, Dakson foi derrubado na área. A torcida pediu para Dedé bater. Ele aplaudiu, mas fez um sinal de negativo. Thiaguinho partiu para a cobrança. Bateu forte, no canto esquerdo do goleiro, e fechou o placar: 3 a 1.

Fonte: Globo Esporte