Em noite de Nem e Samuel, Flu bate Santos por 3 a 1 e é o novo líder do Brasileirão 2012

Em noite de Nem e Samuel, Flu bate Santos por 3 a 1 e é o novo líder do Brasileirão 2012

A vitória deixou o time do técnico Abel Braga com 47 pontos, dois a mais que o Atlético-MG

Após desperdiçar a chance de assumir a liderança do Campeonato Brasileiro na rodada passada, quando permitiu que o Figueirense empatasse um jogo em que vencia por 2 a 0, o Fluminense desta vez não deu chances ao azar. Com dois gols de Wellington Nem, no primeiro tempo, e um golaço de Samuel, na etapa final, o Tricolor derrotou o Santos, por 3 a 1, nesta quinta-feira, no Engenhão, e ultrapassou o Atlético-MG na classificação, agora com 47 pontos, dois a mais que o Galo.

A renda somou R$ 238.450, com um público pagante de 13.007 pessoas (15.874 presentes). Na próxima rodada, o Tricolor vai a Porto Alegre para enfrentar o Inter, no domingo, às 16h (de Brasília). O Peixe enfrenta o São Paulo, na Vila Belmiro, no mesmo dia e horário.

Os dois times mostraram logo de cara quais posturas iriam adotar: o Fluminense tomando a iniciativa de atacar, quase sempre pelo lado esquerdo, com a marcação mais adiantada, tentando dificultar a saída de bola do adversário, e o Santos fechado, saindo com muita velocidade nos contra-ataques. E foi desta forma que o time paulista apareceu primeiro com perigo na frente, tendo uma chance claríssima desperdiçada por Bill, aos 11.

As defesas apresentavam muitos espaços e diversas chances de gol foram criadas pelas duas equipes. O Tricolor teve a sua primeira em chute forte de Jean, da meia-lua, que Rafael defendeu bem, aos 15, e a segunda com Nem se esticando todo na pequena área para tentar empurrar a bola para a rede após cruzamento de Carlinhos, mas jogando a bola fora, um minuto depois. Sempre no contra-golpe, o Peixe ainda criou uma grande chance muito mal concluída por Gerson Magrão, aos 18.

No entanto, dois minutos depois o time carioca abriu o marcador com jogada parecida com o lance ocorrido aos 16: Jean, que fez grande partida, cruzou da esquerda na medida para Nem se jogar na bola na pequena área e mandá-la por baixo de Rafael para marcar. O Tricolor se empolgou e quase fez o segundo, com Thiago Neves. Mas, o Santos passou a marcar mais à frente e numa falha de Digão, que não conseguiu cortar um cruzamento de Gerson Magrão, André deu um carrinho para completar de perna direita, na pequena área, e empatar o jogo, aos 28.

Foi só empatar que o Peixe voltou a jogar como antes. E nos contra-ataques a equipe paulista era muito veloz e perigosa, tanto que quase fez o segundo gol desta forma num lance individual de Bruno Peres deslocado pela meia esquerda, arrancando de seu campo e concluindo na área adversária, para boa defesa de Cavalieri, aos 40. Só que o lateral-direito do Santos levava sufoco lá atrás: novamente pelo lado esquerdo, Wagner e Carlinhos tabelaram, e o meia cruzou na medida para o baixinho Nem fazer de cabeça o segundo, no canto direito de Rafael, aos 43.

Samuel faz golaço e impede reação do Santos

A desvantagem fez o time de Muricy Ramalho voltar para o segundo tempo mais à frente. O risco era passar a dar chance ao Flu, que não recuou, ameaçar também em contra-golpes, mas não havia muita alternativa. Para tentar melhorar a produção de seu ataque, o técnico santista pôs logo aos 10 minutos Patricio Rodríguez no lugar de Bill. Com os dois times atuando ofensivamente o jogo ficou aberto, mas por erros de passes em alguns momentos, e a insistência de alguns jogadores em carregar demais a bola, em outros, não houve tantas chances de gol claras como na primeira etapa.

A partida passou a ficar muito presa às duas intermediárias, e Muricy resolveu mexer no meio de campo do Santos, com a entrada de Bernardo, ex-Cruzeiro e Vasco, no lugar de Éwerton Páscoa, aos 26. Logo depois, Wellington Nem sentiu dores na pantiurrilha esquerda e foi substituído por Rafael Sobis. Quando o time paulista parecia que exerceria uma pressão sobre o a equipe da casa, num contra-ataque, Samuel fez um golaço que decidiu o jogo. O jovem centroavante recebeu no bico da grande área, pela esquerda, ajeitou para o meio e colocou a bola no ângulo esquerdo de Rafael, que nada pôde fazer: Flu 3 a 1.

Em festa, a torcida tricolor aproveitou para provocar e xingar o treinador santista, que era o técnico do time carioca na útima vez em que havia sido líder do Brasileirão: quando conquistou o título de 2010, com a vitória 1 a 0 sobre o Guarani, na última rodada da competição daquele ano. Magoada com a saída do treinador no meio da Libertadores de 2011, justamente para o Santos, os tricolores cantaram "Oh Muricy, vai se f..., o Fluminense não precisa de você" e depois gritaram o nome de Abel. A partir do terceiro gol, o Tricolor passou a administrar a vantagem, sem dar muitos espaços para o adversário e ainda criando oportunidades para transformar a vitória em goleada. Mas nem foi preciso.

Fonte: Terra