Em nota, Santos critica postura do São Paulo e declarações de Ganso

Em nota, Santos critica postura do São Paulo e declarações de Ganso

Irritada com o Tricolor e com o próprio meia, que disse que seria "uma honra" vestir a camisa do rival, diretoria avisa: só sai se pagar a multa

O Santos divulgou, na noite desta sexta-feira, uma nota criticando a postura do São Paulo e afirmando que não pretende negociar o meia Paulo Henrique Ganso com o clube rival. A diretoria do Peixe avisa que a única forma de o jogador deixar a Vila Belmiro é pagando a multa rescisória, que é de R$ 53 milhões para clubes do Brasil e 50 milhões de euros para o exterior. O contrato vai até fevereiro de 2015, e a primeira proposta do São Paulo foi de R$ 10,7 milhões para o Peixe e R$ 12,5 milhões para o DIS, braço esportivo do Grupo Sonda, que detém 55% dos direitos econômicos do jogador (os outros 45% são do Santos).

Na nota, assinada pela presidência do clube alvinegro, o próprio Ganso é repreendido, por ter declarado que "gostaria de vestir a camisa do São Paulo".

Dirigentes do Santos, nos bastidores, já vinham reclamando da postura do São Paulo, que tornou pública a proposta por Ganso na terça-feira à noite, minutos depois de a oferta ter sido formalizada - R$ 10,7 milhões pelos 45% dos direitos econômicos que pertencem ao Peixe. Os santistas viram na atitude uma forma de pressionar Ganso e criar um clima ainda pior para a permanência do meia no clube - e tudo isso na véspera da primeira partida do Peixe contra o Universidad de Chile, em Santiago, pela Recopa Sul-Americana.

A gota d"água para os santistas veio nesta sexta-feira pela manhã, quando o técnico do São Paulo, Ney Franco, disse que já havia feito até um "campinho" com Ganso em sua equipe. E isso, novamente, na véspera de um jogo importante do Santos - neste sábado, o time enfrenta o Palmeiras, no Pacaembu, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Na nota, o Santos deixa claro que não há mais qualquer tipo de negociação com o São Paulo e que Ganso não está à venda. Por ser detentor dos direitos federativos do jogador, o Santos exige, para liberá-lo, receber integralmente a quantia da multa (R$ 53 milhões), para só então repassar para o DIS o seu montante. Isso porque, paralelamente à proposta feita para o Santos, o São Paulo procurou o DIS e ofereceu R$ 12,5 milhões pelos 55%. Tricolor e DIS chegaram até a um acordo para os salários de Ganso.

A princípio, o meia está relacionado normalmente para o clássico contra o Palmeiras. Ele tem apenas três jogos pelo Peixe neste Campeonato Brasileiro - o limite para se transferir para outro time da Série A é de seis partidas.

Confira abaixo a íntegra da nota emitida pelo Santos:

Sobre as últimas notícias envolvendo o atleta Paulo Henrique Ganso, o Santos FC vem a público esclarecer que:

1) Seus direitos federativos não estão à venda. O meia está sob contrato até fevereiro de 2015 e o documento prevê multas tanto para o exterior quanto para o Brasil. Times interessados devem realizar o depósito relativo ao valor integral da multa na conta corrente do Santos e enviar o comprovante por fax à Presidência;

2) Não existe negociação com o São Paulo FC. Pela elegância que rege o relacionamento entre os Clubes, o Santos concordou em receber uma proposta pelo atleta, cujo valor considerou muito abaixo do aceitável. Mas após as últimas notícias publicadas em diversos veículos, o Santos afirma que não ouvirá mais propostas. Reafirmamos: o rompimento do contrato só se viabilizará diante do pagamento integral da multa;

3) Em nome de sua torcida apaixonada, o Santos FC também lamenta as declarações do atleta de que ?gostaria de vestir a camisa do São Paulo?.

Desta forma, o Santos FC encerra qualquer manifestação sobre este assunto até que se finde o contrato do atleta Paulo Henrique Ganso ? fevereiro de 2015 ? ou até que se deposite o valor integral da multa contratual.

Temos convicção de que o jogador continuará cumprindo o seu contrato com o talento e o profissionalismo que sempre demonstrou.

A Presidência

Santos Futebol Clube

Fonte: GloboEsporte.com