Em treino acidentado, Vettel faz a pole, Rubinho em 9°

Barrichello e Button foram punidos após marcarem seus tempos no fim da segunda parte do treino

Em um treino muito acidentado, com três bandeiras vermelhas, Sebastian Vettel marcou a pole position do GP do Japão, que será disputado neste domingo. O alemão da RBR marcou 1m32s160, apenas 60 milésimos à frente do italiano Jarno Trulli, da Toyota, o segundo. Lewis Hamilton, da McLaren, ficou com a terceira posição no grid de largada em Suzuka.

Rubens Barrichello, da Brawn GP, ficou com a quinta posição no treino, logo atrás de Adrian Sutil, da Force India, o quarto. O brasileiro superou Jenson Button, seu companheiro de equipe e líder do campeonato, por duas posições no grid de largada. O inglês, que tem 15 pontos de vantagem sobre o rival, sai na sétima colocação. Nick Heidfeld, da BMW Sauber, conseguiu o sexto tempo.

No entanto, Barrichello e Button foram punidos após marcarem seus tempos no fim da segunda parte do treino (Q2) sob bandeira amarela. Os pilotos da Brawn GP escaparam do acidente de Sebastien Buemi, da STR, no minuto final do trecho em questão, mas não diminuiram a velocidade no setor da pista onde o suíço acertou o guard rail. O brasileiro sai em nono e o inglês, em 11º. Além deles, o próprio Buemi, Adrian Sutil e Fernando Alonso também perderam cinco postos na largada.

Kimi Raikkonen, da Ferrari, apostou em um carro mais pesado e sai na quinta posição do grid, logo à frente de Nico Rosberg, da Williams. Sebastien Buemi, da STR, bateu na curva Spoon no fim do Q2 e não entrou na pista na parte final do treino. Ele vai largar em 14º após receber uma punição. Heikki Kovalainen, da McLaren, sofreu um acidente no início da superpole, vai trocar o câmbio e não conseguiu marcar tempo. Ele vai largar em 13º após todas as punições.

A segunda parte do treino classificatório (Q2) foi marcada por dois fortes acidentes, que provocaram duas bandeiras vermelhas. Primeiro, o espanhol Jaime Alguersuari, da STR, escapou na curva Degner e acertou a barreira de pneus de frente. Ele demorou a sair do carro, mas não teve problemas e foi levado ao centro médico do autódromo apenas para exames de rotina.

O segundo acidente do Q2 foi mais grave. Timo Glock, da Toyota, saiu da pista na última curva antes da reta dos boxes e acertou a barreira de pneus de frente, com muita força. Ele foi levado ao centro médico do autódromo de ambulância, após uma demorada remoção do carro. Após os exames, os médicos da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) decidiram removê-lo para um hospital próximo ao circuito de Suzuka. O alemão tinha um corte na perna e dores nas costas.

No fim do Q2, Nico Rosberg, da Williams, Fernando Alonso, da Renault, e Robert Kubica, da BMW Sauber, acabaram eliminados na segunda parte do treino classificatório. Além deles, Glock e Alguersuari também ficaram fora da superpole por causa dos acidentes.

A primeira parte do treino (Q1) não teve surpresas entre os eliminados. Giancarlo Fisichella, em sua terceira corrida pela Ferrari, ainda não conseguiu se adaptar e vai largar apenas na 14ª posição. Kazuki Nakajima, da Williams, piloto da casa, também não foi bem em Suzuka e sai somente em 16º neste domingo.

Outro eliminado habitual é Romain Grosjean, da Renault. O francês continua a lutar contra o carro da equipe francesa e não conseguiu andar próximo de Alonso no treino classificatório. Ele conseguiu apenas o 18º tempo e ficou na frente apenas de Vitantonio Liuzzi, da Force India, que trocou o câmbio, e de Mark Webber, da RBR, que não treinou após o acidente no último treino livre. Seu carro apresentou uma rachadura no chassi, que terá de ser trocado e, de acordo com as regras, terá de largar dos boxes.

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com