Enderson revela surpresa com convite e mira avaliação "criteriosa" no Grêmio

O discurso também se mostrou direto, sem rodeios. Prometeu uma equipe competitiva e, claro, brigar por títulos

Foi jogo rápido. Anunciado por volta das 16h, Enderson Moreira foi apresentado ainda no final da tarde desta segunda-feira, no Olímpico. O discurso também se mostrou direto, sem rodeios. Prometeu uma equipe competitiva e, claro, brigar por títulos ao comandar o que define como um "gigante do futebol brasileiro". Mais do que isso: vai aproveitar o fim de 2013 para promover uma avaliação "criteriosa" do elenco. Ou seja, mais peças devem mudar além do próprio treinador.

- Qualquer elenco do do futebol braisleiro está aberto a modificações. Uns vão buscar o seu caminho, outros podem vir para reforçar e colocar equipe de outra forma em campo. Vamos fazer avaliação criteriosa do elenco. Mas quem conquistou vice do Brasileiro, ficou entre os quatro da Copa do Brasil, tem todas as condições de brigar por títulos - apontou, na sala de conferências do Olímpico, ao lado do presidente Fábio Koff, do assessor Marcos Chitolina e do diretor Rui Costa.

Enderson foi escolhido para o lugar de Renato Gaúcho, que não renovou, após a boa campanha do Goiás no Nacional, competição na qual lutou por vaga à Libertadores e terminou no sexto lugar. A temporada, aliás, foi boa com o título goiano e a semifinal da Copa do Brasil - sempre tendo o atacante Walter como principal destaque. O aproveitamento foi de 59,15% (36 vitórias, 18 empates e 17 derrotas em 71 jogos). Segundo ele, o convite do Grêmio foi surpreendente.

- Eu não esperava. Estava na casa da minha mãe (no interior de Minas Gerais) e me telefonaram ontem (domingo) - conta.



A passagem de Enderson pelo Esmeraldino, aliás, tem outras conquistas: o Goiano e a Série B de 2012. Ela começou em 2011 no Brasileirão, competição na qual não conseguiu o acesso à Série A. O treinador, antes, trabalhara no Fluminense, clube pelo qual disputou a sua primeira Libertadores. Foi uma passagem como interino enquanto o clube carioca esperava a chegada de Abel Braga: foram cinco jogos, com três vitórias e duas derrotas. Foi eliminado nas oitavas de final pelo Libertad. A carreira de técnico profissional tem passagem ainda pelo Internacional. Foi em 2010, então, que Enderson deu tempo nos trabalhos de auxiliar e de técnico das categorias de base. Com jovens, trabalhou em Minas Gerais: Cruzeiro, Ipatinga, América e Atlético-MG.

Renato deixa o Grêmio após levar o clube à Libertadores pela segunda vez - a primeira foi em 2010. Além do vice nacional, chegou até a semifinal da Copa do Brasil, sendo eliminado pelo Atlético-PR. Ao todo, comandou a equipe em 39 jogos, com 17 vitórias, 12 empates e 10 derrotas.

Fonte: GloboEsporte