Entregar é palavra proibida em todos os cantos do Vasco

Entregar é palavra proibida em todos os cantos do Vasco

Empate ou derrota contra o Olaria elimina o Botafogo da Taça Rio. Mas clube quer liderança

No próximo domingo, os botafoguenses vão estar com um olho no jogo contra o América e outro em Macaé, onde o Vasco enfrenta o Olaria. Isso porque qualquer resultado que aconteça por lá influencia na vaga às semifinais da Taça Rio. Em caso de empate ou derrota vascaína, por exemplo, o Botafogo estará automaticamente eliminado do Carioca. A vitória vascaína não significa nada em termos de classificação, já que a vaga está garantida. Mas os três pontos garantem a liderança do Grupo A, por isso, em São Januário, a palavra entregar está proibida.

Ricardo Gomes bateu nesta tecla durante as últimas entrevistas e espera que qualquer pressão por resultado adverso fique fora do ambiente dos jogadores. Para o treinador, não há qualquer lógica em perder o jogo contra o Olaria. Nem mesmo prejudicar o rival Botafogo.

- A derrota só vai nos prejudicar. Nossa principal meta é terminar em primeiro lugar. Temos de entrar com ânimo e disposição nas semifinais e uma derrota pode minar o ambiente. Me perguntam sempre sobre quem pode ser nosso rival nas semifinais, que o Vasco pode escolher o adversário... Mas aqui nos preparamos a cada jogo, então temos de estar prontos para quem quer que apareça - afirmou o treinador, confirmando que não pensa nem em poupar alguns jogadores em função do cansaço.

- Como já disse, só Ramon e Alecsandro não vão jogar por causa dos cartões. Se não pensasse em liderança poderia poupar mais alguém, mas não penso nisso. Vamos buscar a vitória - garantiu.

Fator político também influencia na partida

Mesmo sem o técnico saber, o pensamento de Ricardo Gomes é o mesmo de uma grande corrente da diretoria vascaína. Para evitar uma exposição desnecessária, ninguém quis falar abertamente sobre o assunto. Mas o fato é que o futebol do Olaria é comandado pelos ex-dirigentes do Vasco como José Luiz Moreira e Paulo Reis, além de contar com uma consultoria de Paulo Angione. A dupla tem ligação com o ex-presidente do Vasco Eurico Miranda, grande opositor de Dinamite.

Apesar de não ter qualquer tipo de cargo no clube, Eurico Miranda vai constantemente ao Olaria e sempre dá pitacos na administração. Além disso, seu filho Álvaro Miranda é auxiliar técnico do clube. A classificação seria uma vitória para o principal grupo de oposição do Vasco e, em ano de eleição, ninguém quer ver o outro lado comemorando.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com