Equipes aproveitam "folga" da F1 para trabalho duro

Sem descanso, a meta é ter novidades nos carros para o GP da Turquia, em 8 de maio

A próxima corrida da Fórmula 1 será apenas no dia 8 de maio, mas as três semanas entre uma corrida e outra não terão nada de folga para equipes e pilotos, que vão trabalhar duro para deixar os carros acertados para o GP da Turquia, em Istambul.

Depois de três corridas em quatro domingos, as equipes já chegaram a alguns veredictos sobre o que precisam melhorar em seus carros. A líder Red Bull, por exemplo, vai priorizar o trabalho no Kers, o sistema de recuperação de energia cinética, que garante potência extra para os carros durante alguns segundos a cada volta.

O dispositivo praticamente não fez falta nas primeiras corridas, na Austrália e na Malásia, vencidas com folga pelo alemão Sebastian Vettel. Mas, na China, a falta dele foi bastante sentida pelo piloto, a ponto de o chefe da equipe, Christian Horner, dizer que o trabalho no Kers será a prioridade nas próximas semanas.

- As coisas estão ficando melhores à medida em que aumenta a quilometragem do sistema. Temos acertos a fazer, que estarão prontos para o GP da Turquia.

Na Ferrari, a situação é mais problemática. O carro tem problemas aerodinâmicos crônicos, como admitiu Fernando Alonso após o GP da China, e nesse intervalo não será possível fazer grandes mudanças.

A prioridade da equipe é descobrir como aproveitar melhor os pneus mais duros criados pela Pirelli, que criaram muitos problemas pra Felipe Massa nas voltas finais do GP da China ? o piloto perdeu rendimento e caiu do segundo para o sexto lugar.

A prioridade da McLaren também é aperfeiçoar o conhecimento sobre os pneus, a fim de evitar erros de estratégia. Na China, por exemplo, a equipe se deu bem ao fazer três paradas para troca, contra duas de Vettel e da Ferrari, mas o engenheiro-chefe, Phil Prew, admitiu que a decisão foi tomada em cima da hora.

O chefe da equipe, Martin Whitmarsh, acredita que qualquer erro pode significar um fiasco.

- Você está sempre no fio da navalha. Os pneus são um desafio para as equipes, os engenheiros e os pilotos, e isso é uma coisa saudável para a competição.

O trabalho também será árduo na Williams. A equipe está frustrada por ter saído no zero das três primeiras corridas do ano, depois de ficar com uma expectativa otimista nos testes de pré-temporada. O diretor técnico, Sam Michael, promete muitas novidades para a Turquia.

- Vamos ter modificações do assoalho, novas asas dianteiras e traseiras e um novo sistema de refrigeração dos freios. Esperamos que isso renda alguns décimos de segundo, que possam colocar nossos pilotos entre os dez primeiros.

Fonte: R7, www.r7.com