Ex-seleção de basquete tenta ajudar em tragédia e acaba em hospital

Ex-seleção de basquete tenta ajudar em tragédia e acaba em hospital

Matheus Rafael Raschen, 20 anos, resolveu trocar a carreira no basquete pelos estudos

Entre as várias vítimas do trágico incêndio ocorrido em Santa Maria (RS) e que ainda lutam para sobreviver está o Matheus Rafael Raschen, 20 anos, um estudante de tecnologia em alimentos da Universidade Federal de Santa Maria que resolveu trocar a carreira no basquete pelos estudos.

Raschen está atualmente na CTI (Central de Terapia Intensiva) do Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre. Está em estado grave, sedado e em quadro muito delicado, segundo informou a família. De acordo com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, mais de 100 pessoas estão internadas por causa da tragédia. Destes, 80 respiram com a ajuda de aparelhos.

Matheus sofre com problemas de respiração por ter inalado fumaça tóxica no local. O jovem universitário chegou a defender a seleção brasileira nas categorias de base, como o time sub-18. Foi capitão da seleção gaúcha de base e perambulou por equipes do interior do estado, como o Corinthians de Santa Cruz do Sul, time que foi campeão brasileiro profissional na década de 90.

Segundo informações da família, o universitário estava em uma área mais externa da boate no momento do incêndio, mas decidiu voltar para ajudar alguns de seus colegas que estavam em situação mais delicada na hora do tumulto e precisavam de socorro. Depois disso, acabou se complicando no local devido à imensa multidão.

"Segundo informações que eu tenho, ele tentou ajudar pessoas, acabou caindo e se machucando. Ele acabou socorrido pelos bombeiros. Na ânsia de ajudar outros, ele acabou ficando lá dentro", falou Nestor Raschen, pai de Matheus.

"Tenho informação extra-oficial de que chegou consciente ao hospital, mas foi sedado por causa das dores. Ele estava muito perto de onde ocorreu o incêndio e foi um dos primeiros a tentar ajudar as pessoas", continuou.

A família, que vive em Santa Cruz do Sul, foi avisada por volta das 5h30 da manhã de domingo e aproximadamente duas horas depois já estava na companhia de Matheus. Nestor disse que apesar do quadro grave, tem muita esperança de que o filho possa sair em breve da situação delicada.

"O grande problema do Matheus é a respiração por ter inalado fumaça tóxica. Isso prejudicou as vias aéreas e está sedado. Esperamos que o organismo reaja. Que isso seja natural e espontâneo. É um quadro muito delicado. Como está vivo e onde há vida, há esperança", falou o pai.

"Ele é guerreiro e batalhador, um exemplo de vida, Ele não é de ir festas. Vai sair dessa com muita reza de todos."

Fonte: UOL