Fabiana Murer vence GP Brasil de atletismo

Fabiana Murer vence GP Brasil de atletismo

Atleta salta 4,75 e fica com o ouro. No salto em distância, Keila também vence

Fabiana teve calma e segurança. Atual campeã mundial indoor, a brasileira não se apressou para saltar no GP Brasil de Atletismo, neste domingo, no Rio de Janeiro. Sua primeira tentativa foi em 4.40. Fácil. Seguiu com seu planejamento, e depois, com a vitória garantida, tentou a marca de 4,85, superior à que lhe deu o ouro em Doha (4,80) e ao seu recorde sul-americano (4,82). Não deu. Mesmo assim, fechou em 4,75m e ficou com o ouro na competição.

No GP Brasil, Fabiana testou uma nova técnica de salto. Há duas semanas, de volta das férias, ela treina percorrendo os 36 metros em 18 passadas, ao contrário das 16 até o ano passado. Depois da vitória, Fabiana comemorou a boa marca.

- Foi ótimo. É a minha melhor marca da temporada em pista aberta. É prova de que o trabalho está dando certo. Gostei bastante dos primeiros saltos, achei que estava chegando muito bem. No fim, me senti um pouco cansada - afirmou.

A brasileira ressaltou que a prova deste domingo foi apenas um teste para ver como se sairia com a nova técnica de salto. Ela afirmou que vai insistir na mudança, e projeta estar no melhor de sua forma no GP de Roma, em junho, válido pela Diamond League, quando também estreará suas novas varas, maiores que as que usa hoje.

- Vai dar certo. Vou insistir nisso. Eu treinei sem saber como me sairia. Estou bem feliz. Acho que em Roma já vou estar melhor. Quanto mais alto, melhor - afirmou.

No salto em distância, a vitória foi de Keila Costa. A atleta, que sofreu uma lesão há duas semanas, conseguiu sua melhor marca do ano, 4,68m, e comemorou o fato de não ter sentido dor na hora do salto.

- É a minha melhor marca pessoal do ano. E eu ainda não sabia se disputaria, só fui confirmar na quinta-feira.Não quis forçar muito para não sentir dor. E fico feliz por ter conseguido.

Antes, na prova dos 400m feminino, Jailma de Lima conquistou a primeira medalha do Brasil no dia. Ela marcou o tempo de 52s70 e ficou com o bronze da prova.

- Estava um pouco forte. Mas vim confiante. Era difícil conseguir uma medalha, mas consegui e estou muito grata por isso - disse.

Marilson vai mal nos 5.000m e foca no segundo semestre

Na prova de 5.000m, Marilson dos Santos não conseguiu ser páreo para os quenianos. O atleta, que faz sua preparação toda voltada para maratonas, terminou em oitavo lugar, com 13m45s. O resultado ficou um pouco acima do índice para o Ibero-Americano, que é de 13m40s. O vencedor foi Abraham Chebi, do Quênia, com 13m17s64. Agora, Marilson pretende descansar para decidir se vai em busca do tricampeonato da Maratona de Nova York.

- Foi difícil. Eu faço preparação para maratonas, então não estava muito rápido. Acho que valeu. Foi a primeira prova difícil do ano. Agora, é hora de descansar e pensar no segundo semestre. Em junho ou julho decido se vou participar da Maratona de Nova York, mas é provável.

Nos 400m com barreiras, Mahau Suguimati ficou próximo de conseguir uma medalha para o Brasil. Ele terminou a prova em quarto lugar, com o tempo de 50s33.

- Errei a segunda barreira e estragou tudo. Não deu tempo de me recuperar. Se tivesse acertado, pelo tempo, teria vencido ? disse o atleta. O americano Justin Gaymon venceu a prova, com 49s34

Fonte: GloboEsporte