Felipão reestreia na Seleção Brasileira com derrota de 2 a 1 para a Inglaterra

Felipão reestreia na Seleção Brasileira com derrota de 2 a 1 para a Inglaterra

De volta, Luiz Felipe Scolari viu um jogo disputado, mas com pênalti desperdiçando pela sua aposta Ronaldinho

No jogo que marcou a estreia do técnico contratado para montar um time competitivo para a Copa do Mundo de 2014, a seleção brasileira foi derrotada por 2 a 1 para a Inglaterra, em Wembley. De volta, Luiz Felipe Scolari viu um jogo disputado, mas com pênalti desperdiçando pela sua aposta Ronaldinho e erros na marcação, que deram a vitória para os ingleses. Os gols foram de Rooney e Lampard. O Brasil descontou com Fred.

O frio do inverno londrino não contagiou os jogadores. Aos contrário, o jogo foi quente e movimentado desde o início. Um clássico do futebol mundial, Inglaterra e Brasil, fez jus à história desde o primeiro apito do árbitro. Disputado, com lances de ataque e clima de competição, o jogo empolgava os torcedores que foram à Wembley.

O novo Brasil de Scolari começou com uma formação de que variava do 442 ao 433. A seleção atacava, mas deixava o rival jogar, sem conseguir impor uma marcação mais dura.

Quando o time tinha a bola, Ronaldinho virava um atacante, livre na frente fazendo companhia a Neymar e Luis Fabiano.

Já Luis Fabiano não chegava a ser um centroavante fixo na área, mas se mantinha como o atacante mais centralizado e disputava todas as bolas com os zagueiros ingleses. Neymar era o mais apagado dos atacante nos primeiro tempo. Isolado na direita na maioria do tempo, tocou pouco a bola.

Depois de já ter chegado à área inglesa em duas oportunidades, o Brasil quase marcou, com uma mão inglesa. Oscar tentou cruzar para a área e a bola bateu na mão de Wilshere. O arbitro marcou pênalti, aos 17 minutos de jogo.

Ronaldinho teve tudo para e consagrar na sua volta à seleção. O camisa 10, entretanto, tocou no canto esquerdo de Hart, que conseguiu defender. No rebote, o Gaúcho ainda tentou um carrinho, mas o goleiro fez outra grande defesa.

Assim como o Brasil, a Inglaterra chegava no ataque e assustava. Aos 25, os donos da casa abriram o placar. Walcott foi lançado em velocidade na direita e chutou forte. Júlio César defendeu, mas no rebote o camisa 10 da Inglaterra tocou para o gol para o delírio dos torcedores locais que celebraram com o tradicional grito "Roooooney".

O jogo se manteve movimentado e parelho após o primeiro gol. Os dois times chegavam à área do rival.

No segundo tempo, Felipão fez três alterações. Ronaldinho, Ramires e Luis Fabiano deixaram o time. Lucas, Fred e Arouca entraram.

A resposta brasileira veio logo aos dois minutos do primeiro tempo. Lucas adiantou a marcação e roubou uma bola no meio campo. O meia-atacante lançou Fred, que com tranqüilidade dominou e na entrada da área e tocou para o gol.

A Inglaterra sentiu o gol por alguns minutos, mas depois manteve o bom futebol do primeiro tempo, aproveitando a dificuldade do Brasil para marcar. Aos 14 minutos do segundo tempo, os donos da casa voltaram a ficar à frente no placar.

Walcott cruzou e depois de Dante rebater, Arouca cortou mal e a bola sobrou para Lampard. O ídolo do Chelsea chutou bem de fora da área e marcou o gol.

À frente no placar, os ingleses ainda atacavam e impediam avanços dos brasileiros, que sucumbiram no primeiro jogo da nova era Scolari.

FICHA TÉCNICA - Inglaterra 2 x 1 Brasil

Local: Estádio Wembley, em Londres (Inglaterra)

Público: 87.483 torcedores

Árbitro: Pedro Proença (Portugal)

GOLS:

INGLATERRA: Rooney, aos 26 minutos do primeiro tempo, e Lampard, aos 14 minutos do segundo tempo

BRASIL: Fred, aos 3 minutos do segundo tempo

INGLATERRA: Hart; Johnson, Cahill, Smalling e Ashley Cole (Baines); Gerrard, Wilshere, Cleverley (Lampard) e Walcott (Lennon); Rooney e Welbeck (Milner) Técnico: Roy Hodgson

BRASIL: Julio Cesar; Daniel Alves, David Luiz (Miranda), Dante e Adriano (Filipe Luís); Ramires (Arouca), Paulinho (Jean), Oscar e Ronaldinho Gaúcho (Lucas); Neymar e Luís Fabiano (Fred) Técnico: Luiz Felipe Scolari

















Fonte: UOL