Ferrari manda Massa permiter ultrapasagem e ceder vitória a Alonso na Alemanha

Ferrari manda Massa permiter ultrapasagem e ceder vitória a Alonso na Alemanha

Líder da prova até a 49ª volta, brasileiro recebe ‘indireta’ pelo rádio e permite ultrapassagem do espanhol; Sebastian Vettel completa o pódio em ter

O domingo para os brasileiros na Fórmula 1 terminou com um gosto amargo que não era sentido há tempos. Após uma bela largada, quando superou Fernando Alonso e Sebastian Vettel para assumir a liderança do GP da Alemanha, Felipe Massa segurou bravamente a pressão do companheiro de equipe. Resistiu aos ataques do espanhol, mas não ao recado que veio pelo rádio. Na 49ª volta, a 18 do fim, a Ferrari se intrometeu na briga. Rob Smedley, engenheiro do brasileiro, disse pausadamente:

- Fernando está mais rápido que você. Pode confirmar que entendeu a mensagem? O efeito foi imediato. Massa quase parou o carro na pista para ceder a liderança da corrida a Alonso. Com a “ajudinha” da equipe, o espanhol venceu o GP em Hockenheim, seu segundo triunfo na temporada 2010. O brasileiro chegou em segundo, seguido por Vettel, da RBR, que completou o pódio. Para completar o constrangimento, Massa ainda ouviu no rádio outra mensagem do engenheiro, se desculpando pelo "incômodo".

- Boa decisão. Temos de ficar assim agora. Desculpe. Após a prova, Alonso cumpriu o protocolo, subiu no carro para comemorar e se dirigiu a Massa. A recepção do brasileiro foi fria, com tapinhas protocolares nas costas do espanhol. Nada mais que isso. O episódio revive o GP da Áustria de 2002, quando Rubens Barrichello chegava para vencer a prova, e a mesma Ferrari mudou o rumo das coisas.

Na ocasião, o brasileiro foi obrigado a frear bruscamente nos últimos metros para a ultrapassagem do companheiro Michael Schumacher. A corrida Mesmo com tempo nublado em Hockenheim, a ameaça de chuva passava longe do circuito antes da largada do GP da Alemanha. O duelo na corrida deveria ficar entre as RBRs de Vettel e Webber e as Ferraris de Alonso e Massa, que dominavam as duas primeiras filas. Só que a largada se encarregou de acabar com esta expectativa.

Após uma dividida de Vettel com Alonso, ainda na reta dos boxes, Massa foi inteligente e superou os dois rivais. O espanhol se manteve à frente do alemão e assumiu a segunda posição da corrida. Com um bom desempenho, os dois carros da Ferrari começaram a abrir uma boa vantagem para o alemão. A partir daí, as emoções da corrida ficariam restritas ao duelo entre Massa e Alonso pela primeira posição. Como o espanhol tinha mais pontos no campeonato que o brasileiro, acreditava-se que a Ferrari daria uma ordem rápida para a inversão das posições, mas não foi o que aconteceu.

Massa se manteve à frente, andando rápido com os pneus supermacios. O brasileiro se manteve à frente do espanhol no primeiro trecho da corrida, sem ser muito ameaçado. Na 13ª volta, Alonso foi chamado aos boxes para seu pit stop e todos temiam que a inversão poderia ser feita no trabalho da equipe. O brasileiro entrou na volta seguinte e o temor foi afastado: a Ferrari fez o mesmo tempo de parada para ambos. Com os pneus duros, Massa começou a ter problemas com o aquecimento da borracha.

Alonso se aproximou rapidamente do brasileiro, que travava as rodas em excesso. Na 21ª volta, o espanhol tentou a manobra no hairpin do circuito, mas Massa defendeu exemplarmente e se manteve à frente. O bicampeão da F-1 não desistiu e tentou novamente na passagem seguinte, mas sem sucesso. Pressionado, Massa finalmente conseguiu dar a temperatura ideal a seus pneus e encaixou uma série de cinco voltas muito rápidas, abrindo quase quatro segundos para o espanhol.

A partir daí, os dois começaram a andar no mesmo ritmo. Eles se revezavam nas voltas mais rápidas, mas a vantagem permanecia na casa dos três segundos. A partir da 39ª volta, Massa começou a perder terreno para Alonso, que andava muito bem no primeiro e terceiro setores da pista. O espanhol reduziu a desvantagem para menos de um segundo, quando a comunicação por rádio com o brasileiro foi mostrada na transmissão oficial da TV. Uma ordem da equipe, codificada, mandava que ele cedesse a posição ao companheiro. Na 49ª volta, Massa quase parou seu carro na pista para deixar que Alonso o ultrapassasse. Relegado à segunda posição, o brasileiro recebeu um pedido de desculpas de Rob Smedley, seu engenheiro na equipe italiana.

O espanhol, então, começou a andar mais forte, meio que como para justificar a decisão da Ferrari, enquanto Massa apenas mantinha seu ritmo. Alonso então teve tranquilidade para cruzar a linha de chegada em primeiro. Massa cruzou quatro segundos atrás, mas não chegou a ser ameaçado por Vettel, que completou em terceiro. O alemão chegou até a fazer voltas mais rápidas na parte final, mas não foi suficiente para lhe deixar em condições de tentar uma ultrapassagem sobre o brasileiro.

Fonte: g1, www.g1.com.br