Festa do Botafogo teve "xaveco" e até confusão com comissão técnica

Festa do Botafogo teve "xaveco" e até confusão com comissão técnica

Único capítulo triste da festa, o desentendimento começou porque membros da Ferj não queriam liberar a entrada da comissão técnica do Botafogo.

A gandula decisiva no lance do primeiro gol e o episódio em que o presidente Maurício Assumpção atravessou Loco Abreu na hora de erguer o troféu não foram as únicas curiosidades na festa do Botafogo pela conquista da Taça Rio, no último domingo, no Engenhão. Além disso, a comemoração dos alvinegros teve momentos de "xaveco" entre jogadores e mulheres responsáveis pela organização do pódio e até mesmo uma confusão envolvendo membros da comissão técnica do time de General Severiano.

Único capítulo triste da festa, o desentendimento começou porque membros da Ferj (Federação de Futebol do Rio de Janeiro) não queriam liberar a entrada de integrantes da comissão técnica do Botafogo após a partida. Nervosos com a possibilidade de ficar de fora da festa, os botafoguenses começaram a forçar o portão que divide o saguão dos vestiários e o campo e iniciaram a confusão.

"Isso é uma falta de respeito. Eles nunca organizam nada e agora querem colocar ordem? Estamos na nossa casa, trabalhamos duro para chegar até o título e não podemos comemorar. Com outros times eles não fazem isso. Vamos fazer uma pressão aqui", reclamou Ivan Joaquim, segurança que acompanhava o grupo do Botafogo.

A possibilidade de não ter os membros da comissão técnica também desagradou o atacante Loco Abreu e o técnico Oswaldo de Oliveira. Ambos só subiram ao pódio após a liberação de auxiliares, preparadores físicos, médicos, fisioterapeutas, nutricionistas e seguranças botafoguenses.

"A festa não podia acontecer sem eles. Nada disso aqui seria possível sem o trabalho de cada um que estava ali preso fora do campo. Fiz questão de esperar cada integrante da nossa comissão técnica. O troféu é deles também", disse Oswaldo de Oliveira.



Com a presença de todos no pódio, os jogadores dividiram as atenções entre a tão cobiçada taça e as mulheres da organização que faziam a entrega da mesma. Entre "xavecos" e sorrisos, alguns tentavam disfarçar com medo das câmeras que registravam tudo. Já o vice presidente de comunicação do clube, Thiago Alvim, não quis saber de discrição e elogiava as meninas durante todo o tempo. "São maravilhosas", bradou o dirigente.

"São lindas, merecem uma atenção especial", brincou um dos jogadores, que pediu para não ser identificado ao ver a presença da imprensa. "Vocês [repórteres e fotógrafos] estão de olho, então é melhor que eu fique quieto. Não tenho mulher para me marcar, mas posso comprometer alguns companheiros casados. É melhor parar com a brincadeira", disse aos risos, ao deixar o pódio e partir para a comemoração com a torcida no gramado.

E a festa não parou por aí. Após deixarem o Engenhão, os botafoguenses se reuniram em uma churrascaria no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio de Janeiro, para encerrar os festejos. Jogadores, comissão técnica e diretoria estiveram presentes ao local.

O domingo festivo, no entanto, deverá ser o único dia de comemoração para o Botafogo. Na tarde desta segunda-feira, o elenco se reapresenta e já inicia os preparativos para a sequência de decisões que terá. Na quarta-feira, o time enfrenta o Vitória-BA pela partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. No próximo domingo, será a vez de iniciar a decisão do Campeonato Carioca contra o Fluminense.

Fonte: Globo