FIA desiste de banir Briatore e Symonds

FIA desiste de banir Briatore e Symonds

Punição a ambos, agora, vale apenas até o fim de 2013 na Fórmula 1

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) chegou a um acordo com Flavio Briatore e Pat Symonds, ex-membros da Renault, e cancelou o banimento do automobilismo de ambos. Agora, a punição para ambos vale até o fim de 2013 na Fórmula 1. Eles só poderão trabalhar em outras categorias organizadas pela entidade no início de 2012.

Briatore e Symonds tinham sido banidos do esporte após o envolvimento no escândalo do GP de Cingapura de 2008, quando o então chefe da Renault ordenou que Nelsinho Piquet batesse no muro para provocar uma entrada do safety car e beneficiar Fernando Alonso. A punição, no entanto, tinha sido cancelada pela Justiça francesa, por irregularidades no processo.

A FIA cogitou apelar da decisão, mas desistiu da ideia após chegar a um acordo com Briatore. Em um comunicado publicado nesta segunda-feira, a entidade disse que tanto o ex-chefe da Renault quanto Pat Symonds expressaram arrependimento e pediram desculpas pelos atos.

Leia o comunicado da FIA abaixo:

"Em troca do pedido de desculpas, Briatore e Symonds pediram à FIA para abandonar a apelação na Justiça francesa, mas sem a FIA reconhecer a validade das críticas contra a decisão do Conselho Mundial do dia 21 de setembro, assim como renunciar ao direito de propor qualquer novo processo contra eles contra eles sobre o assunto.

Considerando que o julgamento do dia 5 de janeiro de 2010 refere-se apenas a forma e não ao mérito da decisão de 21 de setembro de 2009, e que a renúncia de todas as reivindicações expressas pelo Sr. Flavio Briatore e pelo Sr. Pat Symonds estão alinhadas com o que Conselho está buscando, o presidente da FIA considerou que o melhor é não permitir a manutenção de tais litígios, que têm recebido grande cobertura da mídia e que, independentemente do resultado, são muito prejudiciais para a imagem da FIA e do automobilismo e, portanto, aceitar esta solução, pondo fim a este assunto."

Fonte: g1, www.g1.com.br