Fifa aperta cerco e Brasil é obrigado a cobrar sedes para Copa de 2014

Todas as obras de construção ou reformas para os estádios que vão receber jogos da Copa do Mundo de 2014 deveriam ter começado no dia 1º de março

Todas as obras de construção ou reformas para os estádios que vão receber jogos da Copa do Mundo de 2014 deveriam ter começado no dia 1º de março. Deveriam, mas a maioria delas não começou. Preocupada com o atraso, a entidade já cobrou o Comitê Organizador Local (COL), chefiado por Ricardo Teixeira, o manda-chuva da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Teixeira, por sua vez, repassou a cobrança às cidades. Segundo o jornal carioca O Globo, o presidente da CBF enviou carta para as 12 cidades-sede do Mundial, cobrando atualizações sobre o andamento das obras.

No documento, exige resposta escrita em, no máximo, cinco dias após o recebimento e faz uma ameaça: ?O silêncio de qualquer cidade será sumariamente interpretado como declaração de que as obras já tiveram início, o que, caso não seja verdadeiro, Fifa e o Comitê Organizador Local poderão tomar medidas cabíveis para a cidade omissa?.

Segundo a Folha de S.Paulo, que noticiou também o documento do COL em seu Painel FC (para assinantes), a carta mostra uma mudança de postura de Teixeira em relação às cidades. ?A partir de agora, diz Teixeira, todos os problemas relacionados aos projetos serão tornados públicos?, diz a nota.

Tanta preocupação tem ligação direta com o Mundial da África do Sul, que na terça-feira fez festa para marcar os 100 dias que antecedem a abertura. Segundo o suíço Jerome Valcke, secretário-geral da Fifa, os sul-africanos construíram seus estádios em 30 meses. O Brasil terá, em maio, 31 meses para se preparar para o torneio e a Fifa não deve ter a mesma paciência apresentada em 2010 com os anfitriões de 2014.

Fonte: UOL