Fifa teme manipulação de resultados e não descarta cancelar jogos da Copa do Mundo 2014

Fifa teme manipulação de resultados e não descarta cancelar jogos da Copa do Mundo 2014

Dirigente não descarta a possibilidade de cancelar jogos da competição.

O chefe de segurança da Fifa, Ralf Mutschke, disse em entrevista ao jornal alemão Frankfurter Allgemeinen Sonntagszeitung deste domingo que a entidade está em alerta sobre o risco de manipulação de resultados nos jogos da Copa do Mundo de 2014, que será disputada no Brasil. O dirigente não descartou a possibilidade de cancelar jogos da competição.

"Temos que assumir de forma clara que o crime organizado está tentando manipular os jogos da Copa do Mundo. Neste evento, há um volume maior de apostas que são feitas e os maiores ganhos são alcançados", disse Mutschke, que em seguida falou sobre a hipótese de cancelar partidas do Mundial antes mesmo de suas realizações, caso haja suspeitas fortes de manipulação. "Tudo é possível", afirmou.

O dirigente disse ainda que a Fifa já tem um plano para tentar evitar manipulação de resultados. "Temos agentes de segurança em todos os doze estádios. Todos os jogos da Copa do Mundo serão observados no mercado de apostas, estamos em contato com as casas de apostas, as redes sociais e fóruns pertinentes para vasculhar em busca de pistas. Analisamos cenários individuais", afirmou Mutschke.

No ano passado, o dirigente havia dito em um congresso realizado em Zurique, na Suíça, que "é praticamente impossível acabar com a manipulação de resultados no futebol". "Sempre houve corrupção no esporte, antes mesmo do surgimento das apostas sobre jogos, e sempre haverá. É impossível acabar totalmente com a manipulação de resultados", disse à época Mutschke.

Na ocasião, entretanto, o chefe de segurança da Fifa afirmou que menos de 1% dos jogos monitorados pela entidade (350 em um universo de 330 mil) foram manipulados. O número preocupante, como disse Mutschke no evento, era o que mostrava que 10% do total de dinheiro apostado está relacionado a partidas manipulados, algo em torno de 90 bilhões de dólares.

Fonte: UOL