Filme sobre José Aldo dispensou dublê e teve sangue real em cenas

Ator José Loreto teve que sangrar de verdade

Quando decidiu fazer "Mais Forte que o Mundo", cinebiografia do lutador de MMA José Aldo que chega aos cinemas nesta quinta-feira (16), o diretor Afonso Poyart já tinha em mente a dinâmica para o filme. As cenas de luta precisavam ser reais, ou o mais próximo possível disso. Nada do balé plástico e coreografado de filmes como "Rocky" e "Touro Indomável". A porrada tinha de comer solta.

"Assisti a vários filmes de luta antes, e sempre achei tudo muito coreografado. Eu queria que as lutas no filme parecessem um documentário de luta. Com coreografia mais 'suja', como se eu tivesse ligado a câmera no meio de uma luta do UFC. O que me orientou foi a obsessão pela realidade", disse ele.

Ator José Loreto em cena real no filme
Ator José Loreto em cena real no filme

Essa obsessão do cineasta pode ser vista em uma intensa cena logo no início do filme, quando um bar real é inteiramente destruído por José Aldo (José Loreto) em uma briga furiosa com dois provocadores. O ator dispensou o dublê --que apareceu apenas como figurante--, colecionando hematomas e pequenas lesões pelo corpo. Não seriam as últimas.

Em um dos momentos mais emotivos da trama, em que seu personagem confronta a mãe vítima de violência doméstica, ele surpreendeu a produção ao quebrar por conta própria, com um soco, um dos espelhos do cenário. A lesão na mão trouxe sangue real à tela. Em outra cena, o ator passou mal e chegou a vomitar no set.


Fonte: Uol