Fla e Flu fazem primeiro clássico com dois negros à frente dos time

Fla e Flu fazem primeiro clássico com dois negros à frente dos time

Ex-jogadores do clube, eles enfrentam-se pela primeira vez num inédito Fla-Flu

Dois representantes legítimos de Fluminense e Flamengo estarão à frente das equipes no clássico deste domingo, às 16h, no Maracanã, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Ex-jogadores do clube, eles enfrentam-se pela primeira vez num inédito Fla-Flu comandado por técnicos negros, em mais de um século do confronto.

Num momento de amplo debate sobre racismo pelos últimos acontecimentos ocorridos no futebol mundial, a presença deles no comando de dois clubes da elite nacional reforça o que se busca em todos os setores da sociedade: igualdade e oportunidades para todos.

- É uma demonstração que estamos avançando. Não deixa de ser a quebra de algumas barreiras estarmos ocupando esse espaço. O acesso é difícil, a dificuldade não é só racial, mas é social também. Assim como existem cotas nas universidades, o futebol também tem acesso difícil. É um grande acontecimento o fato de sermos negros e dirigirmos clubes de tradição. É muito pouco ainda, mas é um avanço. Nunca cheguei a perder uma oportunidade, não. Mas o que já percebi é que por sermos negros, diminuiu bastante a tolerância no começo do trabalho. A medida em que meu trabalho foi acontecendo, fui ganhando mais respeito - admitiu Cristóvão Borges.

Antes de qualquer cor de pele, Jayme prefere falar do prazer em ter do outro lado, alguém como Cristóvão.

- Já conhecia ele como atleta. Tenho admiração pelo futebol dele. É uma pessoa bonita. Conheço muito e torço muito para conquistar muita coisa na carreira, ele merece - disse Jayme de Almeida, que cita o fato como uma vitória contra o preconceito.

Dentro de campo, no entanto, ninguém quer igualdade no placar do Maracanã. A amizade ficará do lado de fora. Tudo pelos três pontos, que ajudarão os dois times a galgar postos mais altos na tabela.

Cristóvão: ?É como se eu estivesse em casa?

Os olhos de Cristóvão Borges brilham quando o assunto é Fla-Flu. De pé, no parquinho das crianças, na sede do clube, nas Laranjeiras, ele faz uma rápida viagem no túnel do tempo. O dia 6 de outubro de 1979 surge na sua memória junto com um sorriso de felicidade. Foi quando saiu do banco de reservas do Fluminense para superar a marcação de Manguito, marcar um gol no Flamengo e decretar a vitória tricolor por 3 a 0.

? Foi um jogo inesquecível ? lembra o treinador.

Foi sua estreia no Fluminense. E ainda viu o goleiro Paulo Goulart defender um pênalti cobrado nada menos que por Zico. Cristóvão diz que, desde aquele dia, sentiu bons fluídos no ar para uma relação muito agradável.

? É como se eu estivesse na minha própria casa. Tive uma história feliz como jogador, fui auxiliar técnico do Ricardo Gomes, em 2004, aqui, e agora treinador. É muita coisa boa, e espero acrescentar nesta nova etapa ? disse Cristóvão, que na sua primeira experiência como técnico do Fluminense diante do Flamengo, torce para que o resultado seja o mesmo de sua estreia como jogador.

Jayme relembra vitória sobre Máquina Tricolor

Falar de Fla-Flu para Jayme de Almeida é uma viagem no tempo. O clássico leva o técnico do Flamengo de 2014 para os anos de 1970 em poucos minutos. As lembranças são muitas, mas não há dificuldades em rememorar o jogo mais especial no confronto que ele considera como o de maior rivalidade na cidade. Da memória, rapidamente vem uma vitória rubro-negra, é claro.

O ex-zagueiro rubro-negro vai até o ano de 1976. Momento que o tricolor se destacava com a famosa Máquina, liderada por Rivelino. Pois Jayme vivenciou o prazer de ver a engrenagem dela enferrujar diante de Zico.

- O jogo que eu achei muito marcante foi aquele contra a Máquina Tricolor. Eles tinham Rivelino, Paulo Cezar Caju, e outros... Nós vínhamos com nosso time, que não era tão máquina, mas era o Flamengo. Vencemos por 4 a 1, com quatro gols do Zico. Ele ainda estava começando, não tinha chegado ao nível nacional e mundial, que alcançaria depois. Acho que foi o dia que o Zico começou a ser Zico, no que se tornaria mais tarde. Me lembro muito bem daquele dia, estava sol, Maracanã cheio - recorda o treinador, referindo-se ao clássico do dia 7 de março de 1976, válido pela Taça Nelson Rodrigues, visto por quase 90 mil pessoas.

De volta à atualidade, Jayme mais uma vez entrará em campo vendo o adversário como favorito. Novamente, ele acredita que o rubro-negro poderá reverter a situação. Quem sabe, um novo Fla-Flu para entrar no seu particular livro de memórias.

- Com certeza, neste domingo, o Fluminense é o time mais falado no momento, em relação aos jogadores, que já têm uma história bonita no futebol. O Flamengo não tem jogadores tão badalados. Mas acredito muito no que podemos fazer e vencer o Fluminense - crê.

FLUMINENSE X FLAMENGO

Data: 11.5.2014

Horário: 16h

Local: Maracanã

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães

Fluminense: Diego Cavalieri, Bruno, Gum, Elivélton e Carlinhos; Diguinho, Jean, Wagner e Conca; Rafael Sóbis e Fred. Técnico: Cristóvão Borges

Flamengo: Felipe, Léo Moura, Wallace, Samir e André Santos; Cáceres, Márcio Araújo, Luiz Antônio, Lucas Mugni e Paulinho; Alecsandro. Técnico: Jayme de Almeida

Fonte: OGlobo