Fla pede dinheiro de volta a Juan, mas empresário nega dívida

Fla pede dinheiro de volta a Juan, mas empresário nega dívida

Clube alega que lateral já recebia valor combinado para a renovação

A novela entre Flamengo e Juan ainda não acabou e o capítulo final parece que será bastante discutido. Depois de anunciar que o lateral não está nos planos de Vanderlei Luxemburgo para a próxima temporada, o clube tentará um acordo para receber o valor que estaria sendo pago a mais em seu salário. Há cerca de dois anos, as partes negociaram a prorrogação do fim do contrato de dezembro deste ano para o fim de 2011. Desde então, segundo o rubro-negro, o jogador vem recebendo um montante correspondente ao novo compromisso, que acabou não sendo registrado.

- A conversa começou em 2008. Nós queríamos aumentar o contrato do Juan, mas não foi registrado porque, na época, o lateral ainda não havia cumprido a metade do acordo vigente. Mesmo assim, ele começou a receber um salário correspondente a esse novo compromisso. Também havia luvas, mas ele não chegou a receber. Sabemos que o departamento de futebol não pretende utilizá-lo, mas vamos conversar com seu procurador (Eduardo Uram) para rever esses valores que já foram pagos no salário. Pretendemos resolver tudo sem problemas - lembra o vice-jurídico do clube, Rafael de Piro.

Por outro lado, o empresário, Eduardo Uram, afirma que o jogador não deve nada ao clube e fez de tudo para renovar seu contrato de uma forma correta. Segundo ele, Juan chegou a assinar um novo vínculo com o Flamengo, mas o documento não foi registrado. Quanto ao valor a mais pago no salário, Uram diz que isso foi um aumento espontâneo e não era referente ao novo acordo.

- Essa história não vai ter briga. O contato que eles vão ter comigo é para mostrar os documentos. As pessoas que estão lá não são as que fizeram o acordo. Em junho de 2008, quando ele estava muito bem, sentei com Juan e alguns dirigentes para negociarmos a renovação por mais um ano (até dezembro de 2011). Foi feita uma rescisão, e o Juan assinou um novo documento. Em 13 de janeiro de 2009, ele deixou um contrato assinado. Eu disse que poderia assinar em branco que eu confiava no clube. O contrato tinha um prêmio por convocação para a Seleção Brasileira. Na época, ele deveria receber R$ 500 mil. Não eram luvas, mas a soma de valores correspondentes a prêmios. Em janeiro, pedi a via do jogador registrada e eles não me davam.

Quando foi em maio, descobri que o Flamengo ainda não tinha levado o contrato para a Federação (FFERJ) O Juan me cobrava o valor que já deveria ter sido pago. A partir de outubro, ele recebeu um aumento espontâneo até que o contrato fosse registrado. Por opção, o Flamengo não levou para registrar, pois não queria pagar os R$ 500 mil que o jogador tinha direito.

Achavam que poderiam levar esse contrato até dezembro de 2010. Mesmo com a chegada da Patrícia Amorim, continuei tentando resolver a situação para registrá-lo, mas ninguém respondia. O Juan não deve nada ao Flamengo. Se quiserem conversar para renovar, não vejo problemas. O interesse dele sempre foi permanecer no clube, mas tenho dez propostas na mão.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com