Fla tenta resolver impasses com R10, Adriano e relação com Joel

A lista de problemas é extensa e complexa de ser solucionada.

Eliminado da Libertadores e do Campeonato Carioca, o Flamengo tenta juntar os cacos do péssimo primeiro semestre que o time teve. Com aproximadamente um mês até a estreia do Campeonato Brasileiro, no dia 20 de maio, contra o Sport, o clube terá tempo para resolver os problemas que assolam o trabalho no futebol, mas a lista é extensa e complexa de ser solucionada.



Entre problemas políticos, financeiros e de relacionamento, o Flamengo tem em algumas de suas principais estrelas a base para as mudanças que devem ocorrer. Ronaldinho, Adriano e Joel Santana são algumas das questões a serem solucionadas para que um novo fracasso não se repita no Campeonato Brasileiro.

Garantido no cargo mesmo após os seguidos vexames, Joel Santana viu a alta multa rescisória e a ligação com o empresário Léo Rabello evitarem sua iminente demissão. Internamente, o treinador não conta com a aprovação total da diretoria. Além disso, o comandante do time não tem uma boa relação com o atual vice-presidente de futebol, Paulo César Coutinho. Para a sequência do trabalho, a relação precisa ser revista. Uma nova rusga entre os comandos técnico e político no Flamengo podem determinar a queda do treinador.

Ponto de discórdia frequente nos primeiros meses do ano, o salário milionário de Ronaldinho Gaúcho precisa ser resolvido se o Flamengo não quiser conviver com as ameaças de saída de sua principal estrela. Além disso, o clube necessita apertar a marcação sobre o craque. Até o momento, em 2012, o jogador não justificou o alto investimento e foi visto mais em boates do que brilhando dentro dos gramados. O fato, no entanto, não recebeu a atenção devida da diretoria. "Dono do time", o camisa 10 fez o que bem entendeu nos quatro primeiros meses da temporada.

Acolhido pelo Flamengo para a recuperação da lesão no tendão calcâneo do pé esquerdo, Adriano é mais uma preocupação do clube para a continuidade da temporada. Mesmo com a vontade de ambas as partes para que o Imperador volte a vestir a camisa rubro-negra, o jogador precisa provar que está comprometido a retornar aos campos pelo time da Gávea. Enquanto isso, a diretoria quebra a cabeça para ver a melhor maneira de acertar um contrato assim que a recuperação for concluída.

Fonte: UOL