Flamengo avalia mandar seus jogos fora do Rio

O afastamento da torcida rubro-negra do Maracanã está previsto para acabar em 2013

Desalojado desde domingo, 5, após o fechamento do Maracanã para obras da Copa do Mundo de 2014, o Flamengo avalia propostas para escolher um novo mando de campo em curto prazo.

O clube só confirma que a próxima partida, pelo Campeonato Brasileiro, acontecerá em Volta Redonda, no interior do Rio de Janeiro. E tenta manter em sigilo - um palavra raramente seguida na Gávea - suas tratativas para achar uma nova casa.

"O que está definido é que sábado (11), contra o Vitória, o jogo será no (Estádio) Raulino de Oliveira. O Departamento de Marketing está em negociação com outras possibilidades, como o Engenhão, por exemplo. Tivemos convites também para jogar fora do Rio, em praças em que predomina a torcida do Flamengo, mas ainda não tem nada decidido", contou o diretor de futebol Zico.

O diretor de Marketing flamenguista, Harrison Baptista, não revela nem o número de cidades que se ofereceram para receber jogos do time. "Estamos em negociação, a divulgação só vai ocorrer quando for oficial, nas próximas semanas", afirmou, por telefone.

"Entre os critérios para se decidir (o mando de campo), em primeiro lugar, está sempre o técnico. A comissão técnica é sempre ouvida e procura-se viabilizar da melhor maneira", ressaltou Zico.

Baptista confirmou a regra: "Isso é decidido por comissão técnica, arrecadação, marketing... Não é um departamento só. Os critérios são técnico e econômico". O time detém a maior torcida do País, com estimativa superior a 30 milhões de adeptos, espalhados nas cinco regiões.

Na campanha do título nacional no ano passado, o Flamengo foi líder em presença de público. A Confederação Brasileira de Futebol computou 760.677 torcedores, o correspondente à média de 40.036 em cada uma das 19 partidas na sua habitual - e agora interditada - morada. São dele as cinco melhores marcas de público da competição. E quatro das seis maiores arrecadações.

Em dinheiro gerado pela bilheteria, os registros também apontam para o rubro-negro no topo da lista, com R$ 14.555.039 e média de R$ 766.054,68. Em 38 jogos do campeão Fla e do quase rebaixado Flu no Maracanã, em 2009, pela Série A, a Superintendência de Desportos do Estado do Rio de Janeiro (Suderj) embolsou R$ 1.533.735,03.

Fonte: Terra, www.terra.com.br