Fla vence Lanús pela Libertadores, mas vaga escapa com vitória drámatica do Emelec

Fla vence Lanús pela Libertadores, mas vaga escapa com vitória drámatica do Emelec

A partida começou tensa no Engenhão, mas o Flamengo conseguiu se animar com um gol de cabeça de Welinton, aos 17min.

O Flamengo protagonizou um dos maiores dramas da história da Copa Libertadores, nesta quarta-feira. Apesar de ter feito sua parte e vencido o Lanús por 3 a 0, no Engenhão, o time foi eliminado da competição por causa do resultado de outro jogo. Olimpia e Emelec fizeram uma emocionante partida, que mexeu com o coração de qualquer flamenguista. O jogo no Paraguai teve dois gols nos minutos finais e terminou 3 a 2 para o Emelec, que avançou para as oitavas de final da Libertadores, junto com o Lanús, líder do grupo.

A partida começou tensa no Engenhão, mas o Flamengo conseguiu se animar com um gol de cabeça de Welinton, aos 17min. O Lanús até equilibrou a partida, ameaçou reagir, mas fez o segundo gol, com Deivid. Apesar da vitória, o time recebeu uma má notícia nos vestiários: o Olimpia abriu o placar no Paraguai, com Castorino.

Isso não abalou o time carioca e muito menos Ronaldinho. O camisa 10 do Flamengo fez uma bela jogada no gol de Luiz Antonio, logo no começo do segundo tempo. Isso bastou para acabar com as chances de reação do Lanús e fazer com que todas atenções se voltassem para a partida no Paraguai.

Mesmo depois do apito final no Engenhão, o Flamengo não sabia se estava classificado. O Emelec estava na frente, sofreu o empate, mas conseguiu marcar o terceiro gol nos acréscimos e eliminou o time carioca.

Gol animador

A única surpresa na escalação do Flamengo foi a entrada de Luiz Antônio no lugar de Muralha no time titular. Do outro lado, o Lanús ficou sem o experiente Camoranesi, um dos destaques do time. Ainda assim, o time argentino equilibrou o começo do jogo. Só que a primeira chance de gol foi do Flamengo: aos 9min, Ronaldinho lançou Love na área e ele chutou cruzado com perigo, mas para fora.

Depois disso, a partida ficou truncada, com muita disputa no meio-campo, mas um lance de bola parada mudou o andamento da partida: aos 17min, Botinelli cobrou escanteio cheio de efeito, e Welinton apareceu na segunda trave. O zagueiro subiu mais alto que a marcação e, de cabeça, mandou a bola para o fundo do gol.

O Lanús não sentiu o gol e continuou a atacar o Flamengo sem medo. Em um contra-ataque, aos 27min, o goleiro Felipe teve que fazer grande defesa para evitar o empate. Ele se esticou e conseguiu espalmar para fora um chute rasteiro de Valeri. Logo depois, na cobrança de escanteio, Regueiro apareceu sozinho na área, mas cabeceou para longe.

Uma boa e uma má notícia

O Flamengo voltou com perigo para o ataque em um lance ocasional: após Ronaldinho cobrar falta na barreira, Vagner Love viu a bola pingar na área e arriscou o chute, mas a bola foi para fora.

A precisão na finalização só veio com Deivid. Aos 41min, ele recebeu passe Ronaldinho, aplicou uma finta e só depois chutou. A bola ainda desviou de leve em um defensor do Lanús antes de entrar no gol. Apesar de terminar o primeiro tempo com a vitória, o Flamengo teve uma má notícia nos vestiários: no Paraguai, o Olimpia abriu o placar aos 45min do primeiro tempo.

Gol "do Ronaldinho" e tensão

O resultado do outro jogo do grupo não abalou o Flamengo, que contou com uma "pintura" de Ronaldinho para fazer o terceiro gol logo no começo do segundo tempo. Como em seus melhores tempos, ele aplicou dois dribles na ponta esquerda e foi para linha de fundo. O cruzamento foi na medida Luiz Antonio, que emendou de primeira e balançou as redes. O golaço foi do volante, mas teve a assinatura de Ronaldinho.

Isso fez com que qualquer possibilidade do Lanús no segundo tempo fosse barrada. O time argentino desanimou de vez do jogo, permitiu que o Flamengo ficasse com mais posse de bola e passou a depender apenas das jogadas de Regueiro pela esquerda.

O jogo passou a ficar morno e só teve uma grande emoção por causa da partida no Paraguai: aos 23min, a torcida no Engenhão comemorou o gol do Emelec, que empatou a partida e passou a classificar o Flamengo novamente. Em campo, os jogadores perceberam isso e se animaram para administrar a vitória sem problemas.

Ainda houve tempo para que Deivid perdesse um gol para o Flamengo, mas foi só o que teve de emoção pelos lances no Engenhão. Torcida e time pareceram ficar mais preocupados com o resultado do outro jogo do que com a própria partida contra o Lanús.

Emelec avança

Foi um jogo cheio de emoções no Paraguai. Olimpia e Emelec fizeram um jogo aberto no Estádio Defensores Del Chaco e, no final, quem levou a melhor foi o Emelec, que venceu por 3 a 2, com gol aos 47 min do 2º tempo.

Fonte: Terra