Flamengo dá novo passo rumo ao acerto com Traffic e R10

Dirigentes se reúnem com representante da empresa e projetam final feliz para sexta-feira



Na longa caminhada de reuniões para solucionar o impasse entre Flamengo e Traffic, o clube deu nesta segunda-feira mais um passo para tentar resolver a questão que envolve diretamente Ronaldinho Gaúcho. Mas ainda não foi colocado um ponto final no imbróglio. Em reunião no início desta tarde, representantes do Rubro-Negro e o diretor da empresa, Fernando Gonçalves, discutiram mais alguns pontos e discordâncias do contrato. A expectativa é de que a novela tenha final feliz na sexta-feira. Assim que for assinado o contrato, a Traffic depositará os R$ 3 milhões na conta do camisa 10, referentes a quatro meses de salários atrasados.

- Fizemos uma reunião, evoluimos mais um pouco. Acredito que até sexta-feira tudo estará resolvido. Faltam apenas detalhes do contrato, que geram ponderações de ambos os lados. Mas estou confiante de que tudo seja resolvido e a Traffic permaneça. Assim que for assinado o contrato, a empresa depositará o dinheiro do Ronaldinho - afirmou o vice-presidente de finanças do Flamengo, Michel Levy.

O diretor de Traffic teve uma reunião pela manhã com Bernardo Amaral, que foi cogitado para ser o novo vice de futebol do clube. Mas, na verdade, o nome do dirigente que ajudou a comandar o futebol na gestão de Hélio Ferraz, em 2003, foi escolhido pelos presidentes dos Conselhos do clube apenas para tratar da relação Flamengo e Traffic.

Além de Bernardo Amaral e Michel Levy, o vice de marketing, Henrique Brandão, e o responsável pelo departamento jurídico, Rafael de Piro, também participaram da reunião com Fernando Gonçalves.

A permanência de Ronaldinho Gaúcho no Flamengo em 2012 é dada como certa, mesmo sem a Traffic, mas com a provável manutenção da empresa na relação com o clube, a garantia é ainda maior.

Onze meses depois da chegada de Ronaldinho, é um memorando que sustenta o vínculo entre as partes. Quando sentaram para assinar um contrato, a Traffic quis renegociar questões técnicas ligadas a patrocínios, licenciamento de produtos e ao futuro programa de fidelidade para o torcedor. Por estar insatisfeita com a postura do clube, a empresa de marketing esportivo parou de pagar os R$ 750 mil mensais que são de sua responsabilidade.

Desde então, começaram as reuniões e discussões para que clube e empresa cheguem a um denominador comum e Ronaldinho Gaúcho, enfim, possa somar mais R$ 3 milhões de atrasados em sua conta bancária.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com