Flamengo falta a reunião com Procon e dirigente é levado para a delegacia

O órgão de defesa do consumidor exige que o clube reduza preço de ingressos.

O diretor do Flamengo Marcelo Helman foi levado nesta quarta-feira (13) para a Delegacia do Consumidor, em Benfica, na zona norte do Rio, após o clube não enviar nenhum representante para prestar esclarecimentos no Procon-RJ sobre o aumento dos ingressos para a final da Copa do Brasil, no dia 27, contra o Atlético-PR, no Maracanã. A ausência pode ser enquadrada como crime de desobediência e o presidente Eduardo Bandeira de Mello pode responder a processo.

Nesta manhã, após a negação do Flamengo em enviar dirigentes ao Procon, representantes do órgão, que é ligado à Secretaria Estadual de Defesa do Consumidor, estiveram na sede do clube, na Gávea, na zona sul do Rio. O objetivo era coletar documentos que poderiam comprovar uma possível majoração abusiva no preço dos bilhetes.

O presidente do Rubro-negro não estava no local e coube a Marcelo Helman dialogar com os membros do Procon. Como os documentos exigidos pelo órgão não foram entregues, o diretor foi conduzido à delegacia.

Os bilhetes custam entre R$ 250 (atrás do gol e perto da torcida adversária) e R$ 800 (nas cadeiras mais centrais e próximas ao campo). Como comparação, na partida contra o Goiás, válida pela semifinal da competição, os ingressos valeram entre R$ 100 e R$ 280.

Na terça-feira (11), o diretor do Flamengo Fred Luz concedeu entrevista coletiva e afirmou que não há hipótese de os preços serem reduzidos. O presidente do clube explicou que esta é a última chance de "fazer caixa" antes do fim do ano e saldar contas importantes. Além disso, o Rubro-negro alega que o Estado não tem o direito interferir no preço dos ingressos.

As vendas começaram na segunda-feira (11), exclusivamente aos sócio-torcedores. O público normal só terá acesso aos bilhetes após se esgotar o atendimento prioritário aos integrantes do programa de fidelidade. Nesta quarta, quem tentou A secretária de Defesa do Consumidor, Cidinha Campos, orienta que, quem quiser comprar os ingressos, guarde a nota fiscal e leve a um posto do Procon.

Torcedores do clube organizam uma manifestação na sede da Gávea contra o preço dos ingressos para a próxima sexta-feira (15), dia do aniversário do clube.

Fonte: R7, www.r7.com