Flamengo só empata contra o Barueri, e torcida canta "Adeus, Cuca"

Na coletiva, o treinador disse que soube assimilar as vaias e já está pensando no Santos

O Flamengo sonhava com nove pontos em três jogos seguidos no Rio de Janeiro, mas terá de se contentar com apenas dois. Nesta quarta-feira, a equipe empatou em 1 a 1 com o Barueri, no Maracanã, chegou aos 17 pontos e e caiu uma posição no Campeonato Brasileiro, da décima para a 11ª. O clima de cobrança segue forte em cima do técnico Cuca, que foi hostilizado pela torcida ao fim do jogo.

Na coletiva, o treinador disse que soube assimilar as vaias e já está pensando no Santos, apesar de não saber se continuará no cargo. Apesar de Kleber Leite garantir que não existe intenção de mudar o comando, Vagner Mancini está na mira da diretoria e é o primeiro nome da lista - segundo fonte ligada ao clube, o vice de futebol é fã do técnico que levou o Peixe ao vice-campeonato paulista este ano e conquistou a Copa do Brasil em 2005 com o Paulista.

Do outro lado, o time paulista, estreante na competição nacional, mantém a boa campanha que o transformou em sensação. Com o ponto somado, está com 22 e dorme no G-4 - no entanto, a quarta é apenas provisória. Corinthians e Vitória se enfrentam nesta quinta-feira e, independentemente do resultado, um dos dois subirá na tabela. Val Baiano deixou a sua marca mais uma vez e se isolou na artilharia, com nove gols.

. Os gols na narração de José Carlos Araújo, da Rádio Globo/CBN

Na próxima rodada, o Rubro-Negro enfrenta o Peixe na Vila Belmiro, às 16h, e o Barueri, em casa, enfrenta o São Paulo, às 18h30m. Ambos os jogos serão no domingo.

BRUNO TEM BOA PARTICIPAÇÃO

O Barueri começou a partida mais bem posicionado, mas foi o Flamengo, que tinha muitas dificuldades para sair do campo de defesa, que criou a primeira boa chance, em uma bola parada.

Aos oito, após cruzamento da esquerda, Ronaldo Angelim subiu e por pouco não desviou a bola para o gol. Aos 13, foi a vez de a equipe paulista assustar. Ralf arriscou de longe, e a bola passou rente ao travessão de Bruno. A partir daí, o Rubro-Negro cresceu no jogo e passou a marcar mais presença na área adversária. Aos 16, Marlon ajeitou para Fierro, que pegou de primeira da entrada da área, mas não acertou o alvo.

O principal lance da primeira etapa aconteceu aos 18 minutos. Após cruzamento da esquerda de Jorbison, Kleberson mandou de cabeça para o gol, e a bola foi no travessão. No rebote, Emerson tentou mas não conseguiu empurrar para a rede. Um minuto depois, uma amostra da evolução do entrosamento do ataque rubro-negro: Emerson tabelou com Adriano e ficaria de cara com o goleiro para fazer o gol, mas a zaga conseguiu a recuperação em cima da hora e afastou o perigo.

Com as subidas mais constantes do Fla, o Barueri ganhou mais espaço para os contra-ataques. Aos 25, o artilheiro Val Baiano chegou perto de abrir o placar. Ele dominou dentro da área e chutou forte, mas em cima de Bruno. O goleiro do Fla passou a ser cada vez mais exigido. Aos 37, Franciscatti recebeu na direita e mandou uma bomba para o gol. O camisa 1 voou para outra boa intervenção.

O último lance de grande emoção no primeiro tempo aconteceu aos 45 minutos, quando Thiago Humberto finalizou muito bem, e Bruno, novamente, estava lá para impedir o gol do Barueri.

VAL BAIANO MARCA NOVAMENTE

A segunda etapa começou da forma que o Barueri esperava. Logo aos seis minutos, Márcio Careca cruzou da esquerda, e a bola bateu na mão de Marlon. O árbitro marcou o pênalti, que foi bem batido por Val Baiano: 1 a 0. Foi o nono gol do artilheiro do campeonato. Atrás no placar, o técnico Cuca lançou mais dois garotos para tentar a reação: Camacho entrou no lugar de Jorbison, e Bruno Paulo, na vaga do vaiado Fierro. A equipe ficou mais ofensiva, mas continuava esbarrando na grande quantidade de passes errados.

O Fla iniciou uma pressão e conseguiu o empate aos 24 minutos. Airton cruzou da direita para Emerson, que girou e foi travado na hora do chute. Após a cobrança de escanteio, Adriano subiu mais do que todo mundo e desviou a bola, que ainda bateu em Willians e ficou com o Sheik. O atacante chutou de canhota e venceu o goleiro Renê: 1 a 1. O gol acordou a torcida e o time, que passou a jogar com mais velocidade e objetividade.

Aos 29, Bruno Paulo fez boa jogada pela esquerda e cruzou rasteiro. A zaga cortou quando a bola ia na direção do Imperador. Um minuto depois, um susto para os rubro-negros após o chute de Flavinho. A bola passou rente à trave direita.

Ainda mais exposto, o Fla passou outro sufoco. Aos 34, Márcio Careca tabelou com Flavinho e chutou na saída de Bruno, mas a bola saiu mansamente à esquerda do goleiro. A última grande chance da equipe carioca, que se lançou de vez ao ataque, aconteceu aos 43 minutos: Willians arrancou sozinho e chutou de fora da área. A bola foi na trave, e Bruno Paulo não conseguiu chegar a tempo de marcar. Fim de jogo e bronca dos rubro-negros, que gritaram "Adeus, Cuca" e "Time sem vergonha".

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com