Fla vence o Resende e garante classificação para as semifinais da Taça Guanabara; 3 a 1

Fla vence o Resende e garante classificação para as semifinais da Taça Guanabara; 3 a 1

Rubro-Negro sai perdendo, mas alcança virada no segundo tempo

Não é o melhor dos sambas. Não é a mais afinada das baterias. Mas o Flamengo pelo menos garantiu um pouco de paz no carnaval ao assegurar presença no desfile das campeãs da Taça Guanabara. Com virada de 3 a 1 sobre o Resende, neste sábado, em Volta Redonda, o time de Joel Santana avançou como segundo colocado para as semifinais do primeiro turno do Campeonato Carioca. Enfrentará o Vasco - provavelmente na quarta-feira.

Os gols que iniciaram a reviravolta foram de uma dupla que (assim esperam os rubro-negros) parece disposta a se entender. O primeiro foi de Ronaldinho. O segundo foi de Vágner Love. Ambos ocorreram na etapa final, depois de o Resende abrir o placar com Marcelo Régis - até agora, o único gol levado pelo Fla no Estadual. Negueba completou o placar. Neste sábado de carnaval, diferentemente de três anos atrás, o 3 a 1 foi para o Flamengo, e não para o Resende.

O líder do Grupo A foi o Botafogo, que bateu o Macaé por 3 a 0. Seu adversário será definido ainda neste sábado. O Flamengo fechou a fase de classificação com os mesmos 15 pontos do rival, mas com saldo inferior. O Resende, com 12, foi eliminado.

O Flamengo terminou o primeiro tempo eliminado. E não haveria razões para ser diferente: nem nos eventuais lances de brilho individual de Ronaldinho Gaúcho - um pouco de luz em uma atuação novamente apagada -, nem na falta de embocadura de Vagner Love, sempre um segundo atrás da jogada. Talvez, vá lá, por uma ou outra boa tentativa de Léo Moura. Mas o assustador para a torcida rubro-negra é que o Flamengo foi, nos 45 minutos iniciais, justamente aquilo que vem sendo na largada de 2012: um time sem sal, com jogadores que parecem estrangeiros uns aos outros.

A equipe de Joel Santana dominou o primeiro tempo. Seria muito esquisito se fosse diferente. Afinal, ao Resende o empate valia o ouro da classificação. Mas a predominância rubro-negra em Volta Redonda não foi exatamente rica. Boa parte da etapa morreu no limbo do meio-campo.

Ronaldinho esteve envolvido nos principais momentos flamenguistas. Teve vitória individual, na base da técnica, e discrição tática. Ele bateu duas faltas por cima do gol adversário. E deu dois bons passes. No primeiro, pela esquerda, buscou Deivid na área. A bola passou pelo atacante e caiu nos pés de Wellington. O chute foi cortado pela zaga. No segundo, na entrada da área, voltou a encontrar Deivid, que bateu colocado. O goleiro Mauro, bem na partida, defendeu.

Mas foi em um estalo de Léo Moura que o Flamengo mais se aproximou do gol. Ele rumou em diagonal na direção da área, aos dribles, e mandou o chute - travado na hora certa por Filipe Machado. A chance só não foi a melhor dos 45 minutos iniciais porque Marcel, logo com um minuto de jogo, mandou cabeceio no travessão defendido por Felipe. Faltaram milímetros para o Resende pular na frente.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com