Flu segura empate e fica na Série A

O Fluminense arrancou um empate por 1 a 1 com o Coritiba neste domingo, no estádio Couto Pereira

No único duelo da última rodada do Campeonato Brasileiro em que os dois times brigavam contra o rebaixamento, a festa foi tricolor. O Fluminense arrancou um empate por 1 a 1 com o Coritiba neste domingo, no estádio Couto Pereira, e garantiu a permanência na elite em 2010 após uma invencibilidade de 11 jogos nas últimas rodadas (sete vitórias e quatro empates). Marquinhos fez o gol do Flu e Pereira igualou.

Este resultado acabou rebaixando o time paranaense no ano de seu centenário. Outro resultado que determinou a queda do Coxa foi a vitória do Botafogo sobre o Palmeiras por 2 a 0, no Engenhão.

Empurrado pela torcida, que fez uma linda festa antes da partida, o Coritiba começou em cima do Fluminense e criou sua primeira oportunidade de gol aos quatro minutos, quando Renatinho foi derrubado por Dalton na entrada da área. Marcos Aurélio cobrou com categoria e a bola passou à esquerda da meta de Rafael.

A resposta dos visitantes veio aos oito. Conca bateu escanteio pelo lado direito e Vanderlei saltou para evitar o gol olímpico do argentino. Aos 11, o Coxa voltou ao ataque. Marcelinho Paraíba desceu pela esquerda e tocou para Rodrigo Heffner, que fez o giro e bateu por cima.

Um lance polêmico gerou muita reclamação por parte do Flu aos 21 minutos. Após cobrança de escanteio, Fred deu leve desvio na bola e tirou de Vanderlei, mas Jeci chegou rapidamente e afastou quando a bola ia entrando. Os tricolores pediram gol, mas o árbitro mandou o jogo seguir.

Aos 26, finalmente a reda balançou no Alto da Glória. Fred rolou a bola na cobrança de falta e Marquinhos chutou com força, no canto esquerdo de Vanderlei: 1 a 0 Flu. O Coxa não se abalou com o gol e quase chegou à igualdade aos 30, quando Marcelinho soltou a bomba da entrada da área. A bola subiu muito.

De tanto pressionar, o time da casa conseguiu o empate aos 35. Marcelinho Paraíba bateu falta na cabeça de Pereira, que testou firme e Rafael não alcançou. No último bom momento da primeira etapa, Fred achou espaço para concluir da entrada da área, mas chutou muito fraco e facilitou a defesa de Vanderlei.

O Fluminense voltou atrasado para o gramado e o segundo tempo começou no Couto Pereira quando a bola já estava rolando no Engenhão. Aos quatro minutos, Jailton fez falta dura em Alan e o atacante tricolor deixou o campo de maca, dando lugar a Adeílson. No embalo, Ney Franco tirou Pedro Ken e colocou Carlinhos Paraíba no Coxa.

Livre de marcação, Ariel teve a chance de virar o placar aos nove, mas bateu mal, em cima da zaga tricolor. Aos 15, outra baixa no Flu. Adeílson, que ficou pouquíssimo tempo em campo, saiu machucado e deu lugar a Equi Gonzalez.

A esta altura, o Botafogo vencia o Palmeiras por 2 a 0, resultado que deixava o jogo no Sul ainda mais dramático. Entretanto, as chances de gol eram escassas de ambos os lados. Marcelinho Paraíba chegou pela esquerda e cruzou aos 32, mas Rafael saiu bem do gol e tirou de soco.

Aos 37, Marcelinho Paraíba recebeu na área, fez o giro e Rafael voltou a aparecer bem. A pressão dos donos da casa foi muito grande nos últimos minutos. O time abusou das jogadas aéreas, mas a defesa tricolor segurou o resultado. Choro de tristeza nas arquibancadas do Couto Pereira. Alegria e alívio para o time de guerreiros do Flu, que conseguiu salvar a equipe quando poucos ainda acreditavam.

Após o apito final, cenas lamentáveis. Torcedores do Coritiba invadiram o gramado para agredir o árbitro Leandro Vuaden. A Polícia Militar teve de intervir e houve confronto generalizado. Cadeiras do estádio foram destruídas por vândalos.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com