Flu tenta se distanciar e Grêmio busca impedir abismo na Libertadores

Cariocas podem abrir seis pontos em caso de vitória, e gaúchos tentam impedir distanciamento. Técnicos mantêm mistério sobre as escalações.

Um jogo de mistério e estratégia e que já pode traçar o rumo do Grupo 8 logo no início da Libertadores. Nesta quarta-feira, às 22h (de Brasília), no Engenhão, Fluminense e Grêmio medem forças pela segunda rodada. Mais do que um confronto entre duas das melhores equipes do futebol brasileiro no momento, a partida pode ter forte impacto sobre a classificação da chave. Em caso de vitória, os cariocas abrem seis pontos de vantagem sobre um rival direto pela taça. Já os gaúchos lutam para se recuperar de uma derrota inesperada na estreia e evitar ficar longe dos líderes.


Flu tenta se distanciar e Grêmio busca impedir abismo na Libertadores

Diante do adversário teoricamente mais complicado do grupo, o técnico Abel Braga preferiu não confirmar a escalação dos cariocas. Com praticamente todos os titulares à sua disposição (apenas Valencia, liberado para resolver problemas particulares, está fora), o comandante deve optar pela base do quarto título brasileiro. O zagueiro Gum e o meia Deco retornam ao time titular na busca pela tranquilidade que a vitória e a consequente distância para o rival gaúcho podem trazer para as Laranjeiras.

No Grêmio, a ordem é esquecer a derrota para o Huachipato, do Chile, em casa na primeira rodada.

?Ficou no passado?, ?página virada? e ?lembrança pesada? foram expressões usadas para marcar a mudança de pensamento: a recuperação na competição, prioritária da temporada do clube, passa por um bom resultado no Rio de Janeiro. O treinador Vanderlei Luxemburgo, assim como Abel, não divulgou a escalação. Os erros, dizem os jogadores, foram aprendidos. Eles admitem que necessitam de novo espírito. Até porque, um novo insucesso deixaria o time em situação desagradável logo no começo da competição. A projeção para passar de fase é somar de 10 a 12 pontos. Depois do Flu, serão mais quatro jogos e, neste contexto, não haveria margem de erro.

Fonte: GloboEsporte