Flu vence Náutico e assume a vice-liderança

Flu vence Náutico e assume a vice-liderança

Na oitava rodada, o Fluminense jogará contra o Flamengo, na comemoração do centenário do clássico

No duelo entre o anfitrião pouco cortês e o visitante inconveniente, melhor para o agora único time que ainda não perdeu no Campeonato Brasileiro. Com dois gols de Samuel e grande atuação do goleiro Diego Cavalieri, o Fluminense derrotou o Náutico, por 2 a 0, neste sábado, no estádio dos Aflitos, no Recife. O resultado manteve a invencibilidade tricolor na competição e valeu a liderança provisória por duas horas, antes da vitória do Vasco sobre a Ponte Preta. Com 15 pontos, o Tricolor é vice-líder. Já o time pernambucano, que perdeu a primeira em casa, estacionou nos sete pontos, na 13ª colocação.

Na oitava rodada, o Fluminense jogará contra o Flamengo, na comemoração do centenário do clássico, domingo, dia 8, no Engenhão. O Náutico enfrentará o Atlético-GO, no Serra Dourada, no dia anterior.

Na saída de campo, o goleador solitário da tarde nos Aflitos enfatizou a atuação de gala do goleiro tricolor.

- Apesar de ter marcado dois gols, o mérito da vitória não é só meu. O Cavalieri, por exemplo, fez várias defesas que contribuíram para o resultado - disse Samuel.

Lateral do Náutico, Alessandro disse que, apesar da derrota, a atuação foi boa.

- Campeonato Brasileiro é isso aí, jogar com equipes grandes, com jogadores de qualidade e não pode dar brecha, nem desperdiçar tantas oportunidades. Não foi o resultado que esperávamos, mas a equipe jogou bem. Agora, é levantar a cabeça, porque não podemos ficar sem vencer por muito tempo. É um campeonato difícil e temos que subir na tabela.

Os dois times começaram o jogo em ritmos diferentes. O Náutico tentando atacar com velocidade, e o Fluminense, cadenciado, procurando tocar a bola para segurar a empolgação do adversário. Porém, o gramado, muito fofo, prejudicava muito a qualidade técnica da partida. Uma boa solução para superar essa dificuldade era arriscar chutes de fora da área, o que o time da casa fez muito mais vezes.

No entanto, foi num arremate de dentro da área que o Timbu criou a primeira boa chance de gol na partida, aos 12, quando Rhayner fez bom lançamento para Souza, que dominou a bola e chutou rasteiro. Diego Cavalieri fez segura defesa. Quatro minutos depois, Gum cortou mal um lançamento para a área e Souza pegou de primeira, de fora da área, e a bola passou perto da trave direita do goleiro tricolor, pela linha de fundo.

O Náutico continuava melhor e chegou perto do primeiro gol, aos 19: Lúcio cruzou da esquerda, Anderson falhou feio e a bola sobrou para Kim, livre diante de Cavalieri, mas o atacante chutou pessimamente, por cima. Até então só o time alvirrubro havia concluído a gol: oito vezes. Com Deco bem marcado e lutando para se adaptar ao gramado, e Wagner muito recuado, o Tricolor nada criava ofensivamente. Pressionado, a equipe carioca procurou reter a posse da bola, mas sem incomodar o adversário.

E na sua primeira finalização a gol, o Fluminense abriu o marcador, aos 30: Deco cobrou falta da intermediária, Samuel entrou sem marcação no meio da área e completou de cabeça. O Náutico não desanimou e continuou criando chances. Aos 37, Souza recebeu belo lançamento de Alessandro, penetrou na área e tentou deslocar Cavalieri, que se esticou todo e fez grande defesa, evitando o empate.

Aos 44, Souza desperdiçou outra ótima oportunidade para o Náutico, chutando na pequena área em cima de Cavalieri, que salvou o Fluminense novamente. Então, mesmo jogando mal, com apenas três conclusões a gol contra 14 do adversário, o Tricolor saiu do primeiro tempo com 1 a 0 a seu favor.

Após pressão do Náutico, Abel reforça o meio e Samuel faz o segundo

O Flu voltou para o segundo tempo com Wallace no lugar de Bruno. Mas o panorama da partida não mudou. Tanto que, aos 3, o Náutico perdeu uma chance clara: Kim ganhou de Gum dentro da área, mas diante de Cavalieri chutou em cima do goleiro tricolor. Mais três minutos e o centroavante do Timbu cabeceou, livre no meio da zaga adversária, para fora. O time da casa não saía do campo ofensivo, e o visitante não conseguia encontrar uma solução para incomodar o goleiro Felipe.

Aos 11, Martinez cobrou bem uma falta, e Diego Cavalieri voou para espalmar para escanteio a bola que entraria no seu ângulo esquerdo. Percebendo o drama que seu time sofria para segurar o adversário, Abel pôs o colombiano Valencia no lugar de Wagner, aos 18, e deixou seu time com três volantes no meio de campo tricolor. Pouco depois, Alexandre Gallo também mexeu no seu meio, substituindo Souza por Cléverson.

Com a vantagem e o time mais arrumado, o Fluminense evitou que o Náutico mantivesse a pressão e ainda criou mais oportunidades do que antes de marcar o segundo gol. O Tricolor passou a dominar as ações, mas Cavalieri ainda teve de trabalhar, como num chute de Rhayner, que o goleiro tricolor teve de se jogar no seu canto esquerdo para dar um tapa na bola para escanteio, aos 44. No fim, o goleiro e Samuel acabaram sendo os grandes responsáveis pela vitória tricolor.

Fonte: Globo Esporte