Fora da Libertadores, Corinthians mira o Brasileirão

Fora da Libertadores, Corinthians mira o Brasileirão

Sem Libertadores, elenco fez do Brasileirão uma nova obsessão. Fiel fez o mesmo

A liderança do Corinthians após cinco rodadas do Brasileiro não é por acaso. Jogadores, comissão técnica e torcida resolveram fazer da competição nacional uma nova obsessão. E, focada, a equipe conseguiu 13 dos 15 pontos disputados.

A queda precoce na Copa Libertadores, disputa mais importante do clube no ano do centenário, teve seu impacto. Isso é uma realidade. Mas não impediu um bom início no Nacional ? disparado, o melhor do clube na era dos pontos corridos.

Alguns fatores foram fundamentais para que a tristeza e lamentação para a queda diante do Flamengo virassem combustível nos jogos com Atlético-PR, Grêmio, Fluminense, Prudente e Santos ? quatro vitórias e um empate.

A começar pelo próprio interesse do grupo. O ímpeto de jogadores & Cia. não lembra nem de longe o marasmo do ano passado, quando abriu-se mão do Brasileiro após a vaga garantida na Libertadores.

As manutenções de Mano Menezes e dos principais jogadores do elenco também podem ser considerados fatores importantes para a pontuação alta neste início. Apenas Morais, que nem jogava, foi embora após a saída da Libertadores.

Outra situação que favoreceu o início foi a postura dos torcedores. Apesar da tristeza com o fim do maior objetivo, os corintianos não abandonaram a equipe. Após cinco rodadas, o Timão é o clube de melhor média de público e renda, respectivamente, 21.701 pagantes e R$ 670.949,00 arrecadados por jogo.

O zagueiro William elogiou a maneira como a Fiel recebeu a queda na Libertadores. Para o capitão, seria quase impossível se reerguer da maneira que ocorreu se a pressão da arquibancada tivesse tirado a tranquilidade e o foco.

- Vou falar pela experiência que tive com Grêmio e Corinthians. No Sul, perdemos a final em casa e saímos aplaudidos, assim como ocorreu agora. Essa reação da torcida fez com que subíssemos ou até mesmo passássemos um maior tempo mais estável - afirmou.

- Essa reação foi fundamental para não deixar que nos abatêssemos. Buscamos força nisso. Queremos retribuir a confiança que eles vêm dando desde 2008. Nossa reação se deveu a isso - sentenciou.

Fonte: MSN Notícias