O salvador da Pátria: Fred marca no fim e salva Brasil de vexame contra a Rússia em Londres

O salvador da Pátria: Fred marca no fim e salva Brasil de vexame contra a Rússia em Londres

Agora são três jogos nos quais o Brasil perdeu para a Inglaterra e empatou com a Itália e a Rússia.

Em uma partida em que sempre esteve mais perto da derrota do que da vitória, a Seleção Brasileira empatou por 1 a 1 com a Rússia, nesta segunda-feira, em Londres, e segue sem vencer desde a volta de Felipão. Agora são três jogos nos quais o Brasil perdeu para a Inglaterra e empatou com a Itália e a Rússia.

Depois de um primeiro tempo confuso, no qual sofreu nove chutes ao gol e conseguiu finalizar apenas duas vezes, a Seleção mostrou um pouco mais de regularidade no segundo. Mas muito pouco para superar um adversário que lidera seu grupo nas Eliminatórias da Europa com 100% de aproveitamento e ocupa a 10ª colocação do ranking da Fifa. Tanto que, aos 28min, Fayzulin fez o gol russo, que por pouco não foi o da vitória.



O jogo marcou a volta de Kaká ao time titular, mas o meio-campista ficou abaixo do esperado. Buscou o jogo e se movimentou, mas faltou ritmo de jogos refletido em erros primários. Kaká é atualmente reserva do Real Madrid.

Mas quem ficou mais uma vez marcado no jogo foi Neymar. Prendendo muito a bola e errando muito, o atacante recebeu vaias quando perdeu bolas fáceis e manteve a sua sina na Inglaterra. Em Wembley, o atacante perdeu a final olímpica e teve uma de suas piores atuações na carreira, contra a Inglaterra, em fevereiro.



Com três modificações em relação ao jogo contra a Itália (Thiago Silva, Marcelo e Kaká), a Seleção mudou o jeito de jogar. Neymar esteve mais longe de Fred, em uma linha com Kaká e Oscar. Fernando não repetiu a boa atuação contra a Itália na marcação do meio-de-campo e os laterais mostraram fragilidade na marcação.

O jogo ainda serviu como ultimo teste, com a equipe completa, para Felipão convocar a Seleção para a Copa das Confederações. Antes, o Brasil enfrenta Bolívia (6 de abril) e Chile (24 de abril) apenas com jogadores que atuam no País. Os amistosos contra Inglaterra (2 de junho) e França (9 de junho), fecham a preparação.



No primeiro tempo, sufoco e desorganização

Os primeiros 15 minutos podem ser resumidos como um ataque da Rússia x defesa do Brasil. Foram seis chutes a gols dos russos e zero dos brasileiros. Em pé, Felipão observava atentamente e reprovava cada erro, principalmente nas bolas aéreas, com caretas.

A Seleção se livrou de levar um gol e aos poucos se acalmou. Com a bola no chão, os brasileiros passaram a ocupar mais o campo de ataque e, embora Kaká mostrasse um futebol preso, as chances começaram a surgir. Na melhor delas, aos 26min, Marcelo deixou Neymar livre para marcar. O atacante chutou por cima.



Se Kaká estava visivelmente fora de ritmo, Neymar voltou a apresentar o defeito que mais tem marcado sua curta carreira: exagerar na retenção da bola. Em uma das melhores jogadas brasileiras do primeiro tempo, Oscar abriu para o santista e Kaká passou livre em velocidade. Neymar preferiu cortar e tentar o chute, travado pela zaga.

Mas se o ataque criava com sofreguidão, a marcação brasileira apresentava problemas. Abaixo de sua estreia contra a Itália, Fernando correu mais atrás de russos do que os barrou. Daniel Alves mais uma vez deixou muito espaço em seu lado de marcação e faltou coesão na linha defensiva.



Antes do intervalo, duas cenas resumiram o primeiro tempo: Kaká e Felipão discutiram por duas vezes e evidenciaram um Brasil confuso em campo. Já no último lance, a Rússia avançou em velocidade pela direita, Kerzhakov se antecipou a Fernando e serviu Fayzulin na área. O russo chutou para defesa de Júlio César.

Segundo tempo: erro fatal e gol da Rússia

​O Brasil voltou melhor no segundo tempo, mas muito pouco para impor seu futebol. Na busca por alternativas, tentou criar jogadas com Kaká pelo lado esquerdo. Felipão tentou mudar o andamento da partida com a entrada de Hulk no lugar de Oscar, mas foram os russos quem marcaram.

Depois de um verdadeiro bombardeio, com três bolas com direção certa interceptadas pela zaga, Fayzulin aproveitou o rebote e chutou forte para estufar aos redes. O relógio marcava 28min e deixava o Brasil em situação delicada.



Felipão tirou Kaká, tentou Diego Costa, mas o resultado demorou a aparecer. Quando apareceu, foi aos 44min do segundo tempo, com Hulk acionando Marcelo na esquerda - o lateral cruzou rasteiro para a área, e Fred empurrou para as redes.

O Brasil volta para casa com dois empates em sua jornada na Europa. A um ano e dois meses da Copa de 2014, o horizonte é sombrio para o time de Felipão.

Ficha técnica

BRASIL 1 X 1 RÚSSIA

Gols

BRASIL: Fred, aos 44min do segundo tempo

RÚSSIA: Fayzulin, aos 27min do segundo tempo

BRASIL: Júlio César, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Fernando, Hernanes, Kaká (Diego Costa) e Oscar (Hulk); Neymar e Fred

Treinador: Luiz Felipe Scolari

RÚSSIA: Gabulov; Anyukov (Kombarov), Berezutski, Ignashevich e Yeshchenko; Shirokov, Fayzulin, Glushakov e Bystrov (Shatov); Kokorin (Zhirkov, depois Grigoryev) e Kerzhakov

Treinador: Fabio Capello

Cartões amarelos

BRASIL: Hernanes

RÚSSIA: Yeshchenko

Árbitro

Howard Webb (ING)

Local

Stamford Bridge, em Londres (ING)



Fonte: Terra