Funcionária do museu do Barcelona é demitida após imitar macaco para jogador em estádio

Funcionária do museu do Barcelona é demitida após imitar macaco para jogador em estádio

O incidente foi flagrado durante a partida entre Llagostera e Racing, pelos playoffs de acesso para a segunda divisão espanhola.

A punição à mulher que imitou um macaco para o jogador Mamadou Koné, do Racing Santander, durante uma partida da terceira divisão espanhola no último domingo, chegou rápido. De acordo com a rádio ?Cadena SER?, da Catalunha, a torcedora foi despedida do museu do Barcelona, onde trabalhava nas bilheterias.

O incidente foi flagrado durante a partida entre Llagostera e Racing, pelos playoffs de acesso para a segunda divisão espanhola. A mulher, que ainda não teve a identidade revelada, se levantou e, mesmo cercada de crianças, começou a fazer gestos imitando um macaco para Koné. O jogador se manifestou no Twitter, mas evitou polêmicas.

- A respeito desta senhora, melhor não dizer nada. Ela própria já vai se retratar ? escreveu o atacante.

Logo após o jogo, que terminou empatado em 0 a 0, a Llagostera pediu desculpas pelo ocorrido e prometeu esforços para identificar a torcedora e bani-la dos estádios. Para piorar a situação, o ato ocorreu em frente a diversas crianças.

- A Llagostera condenada todo tipo de atitude racista e pede desculpas aos que tenham se sentido ofendidos pelo gesto de uma espectadora. O clube já trabalha para identificar a espectadora, que não é sócia do clube, e proibirá a entrada dela no estádio a partir de agora ? escreveu o clube, em seu perfil oficial no Twitter.

Este foi o terceiro caso de racismo no futebol espanhol registrado nas últimas semanas. Primeiro, o brasileiro Daniel Alves reagiu a uma banana jogada em sua direção, num duelo entre Barcelona e Villarreal, e comeu a fruta. Depois, Diop, do Levante, foi ofendido por torcedores do Atlético de Madrid e respondeu dançando em frente a eles.

Fonte: Globo Esporte