Atlético-PR vence Botafogo por 2 x 0 após jogo acirrado e gol irregular

Cléo marca duas vezes, Furacão alcança 46 pontos e fica tranquilo na tabela. Cariocas criam pouco e ainda têm Junior Cesar expulso no 2º tempo

Em noite de pouquíssima inspiração ofensiva do Botafogo no Raulino de Oliveira, o Atlético-PR soube aproveitar melhor as chances e, com dois gols de Cléo - um deles irregular -, complicou de vez a situação dos alvinegros no Campeonato Brasileiro. Com pouca inspiração durante os 90 minutos, os comandados de Vagner Mancini perderam a oportunidade de dormir fora da zona de rebaixamento, sofreram a 18ª derrota - maior número na competição - e estacionaram nos 33 pontos, três a menos do que o primeiro time fora do Z-4, a Chapecoense. O Furacão atingiu 46 e ultrapassou o número apontado como necessário para escapar da degola.


Com um a menos durante a metade final do segundo tempo, o Botafogo lutou pelo empate, mas viu o adversário definir o placar em um contra-ataque. A equipe carioca ainda pode terminar a rodada na vice-lanterna caso o Bahia vença o Goiás, no domingo, no Serra Dourada. O próximo compromisso é no clássico contra o Fluminense, no próximo sábado. Os paranaenses, tranquilos na tabela, recebem o Sport na Arena da Baixada pela 34ª rodada.

O público presente em Volta Redonda foi de 3.187, e o pagante de 2.609.

Maior posse, pouco perigo

O Botafogo tinha mais a bola no pé nos minutos iniciais, mas as falhas nos momentos de definição perto da área adversária eram constantes. A primeira chance do jogo foi do Atlético-PR, aos 4 minutos, quando Jefferson logo foi obrigado a fazer ótima defesa após Marcelo, melhor em campo, cruzar para Marcos Guilherme aparecer completamente livre. Depois do susto, os donos da casa voltaram a esboçar tentativas, mas também voltaram a parar nos erros no passe final. As finalizações mal assustavam Weverton, que quase não trabalhou.

E, se pelo lado atleticano Marcelo era o que mais levava perigo aos zagueiros alvinegros, foi dos seus pés que surgiu a jogada do gol que abriu o placar no Raulino de Oliveira. Aos 27, após Dankler fazer ótimo desarme mas sair jogando errado, o atacante do Furacão encontrou Cléo adiantado. A arbitragem mandou seguir, e o camisa 9, sozinho, não perdoou. Teve tempo de colocar na frente, pensar e tirar o goleiro botafoguense da jogada, marcando seu oitavo gol neste Campeonato Brasileiro. Em desvantagem, o Alvinegro seguiu dando espaços e diminuiu ainda mais as investidas antes do intervalo.

O que é ruim pode piorar

Vagner Mancini trocou Yuri Mamute por Bruno Correa na volta para o segundo tempo, mas a ineficiência ofensiva dos cariocas permaneceu. O Furacão, por sua vez, se manteve fechado e só saía na boa. Outra vez, no entanto, foi Jefferson o primeiro goleiro a trabalhar. Em cruzamento pelo lado esquerdo, se esticou todo para evitar novo gol de Cléo em cabeçada. Diante de uma defesa bem posicionada, o meio-campo do Botafogo criava ainda menos jogadas que resultassem em chances de gol. Airton, volante, por algumas vezes assumiu a função de armador da equipe.

Somente aos 20 minutos veio a primeira chance dos mandantes na etapa final, em finalização para fora de Gabriel. Mas instantes depois a situação ficou ainda pior. Junior Cesar deixou o braço no rosto de Deivid, levou o cartão vermelho direto e deixou o time com um jogador a menos. Perto do fim, dois lances ainda acordaram a torcida botafoguense. Mas a trave, em lance de Zeballos, e Weverton, após chute de Jobson, garantiram na defesa. Cléo, novamente, aproveitou boa troca de passes em contra-ataque e deu números finais ao jogo.

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Globo esporte