Bahia vence o Shakhtar por 3 a 2 em amistoso realizado na Fonte Nova

Enquanto os jogadores aqueciam nos vestiários, o zagueiro Chicão foi apresentado na sala de imprensa do estádio como novo reforço tricolor


O que é que a Bahia tem? Tem festa e música, tem. E também muito futebol. Empurrado pela torcida, o Bahia enfrentou o Shakhtar Donetsk em amistoso internacional na noite desta sexta-feira, na Arena Fonte Nova, e mostrou para os gringos que a Boa Terra tem muito a oferecer.

No primeiro jogo de 2015, o time treinado por Sérgio Soares contrariou as expectativas e, mesmo na preparação para disputar a Série B do Campeonato Brasileiro, venceu por 3 a 2 os ucranianos, que estão classificados para as oitavas de final da Liga dos Campeões. O espetáculo baiano começou antes mesmo de a bola rolar.

Enquanto os jogadores aqueciam nos vestiários, o zagueiro Chicão foi apresentado na sala de imprensa do estádio como novo reforço tricolor. Em seguida, um show de luzes foi realizado para apresentar aos torcedores o elenco do Bahia de 2015. O sistema de som da Fonte Nova falhou no momento de execução do Hino. A gafe, entretanto, não atrapalhou: a torcida azul, vermelha e branca aproveitou o silêncio para apoiar o time. Com a bola rolando, a festa foi exclusivamente brasileira. Todos os gols foram marcados por atletas nascidos no país. Pelo Bahia, as jovens promessas Rômulo e Zé Roberto, duas vezes, balançaram as redes. A legião tupiniquim do Shakhtar teve como artilheiros Alex Teixeira e Luiz Adriano. Em tour de 20 dias pelo Brasil, o Shaktar volta a campo no próximo domingo, quando enfrenta o Flamengo, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Atlético-MG, Internacional e Cruzeiro são os adversários das outras partidas que serão disputadas no Brasil.

O Bahia também tem amistoso marcado. No dia 25, o Tricolor encara o vencedor de um duelo entre Remo e Paysandu, em Belém, no Pará. A curiosidade dominava a torcida do Bahia antes de a bola rolar. Tricolores aguardavam ansiosamente pela primeira impressão do time para a temporada 2015. E, nos minutos iniciais, a equipe treinada por Sérgio Soares agradou. Com boa marcação e saída rápida na transição, os baianos forçaram o Shakhtar a cometer erros e articularam boas jogadas ofensivas.

A pressão surtiu efeito e Rômulo, aos 13 minutos, abriu o marcador com um gol de falta. Mas a desvantagem acordou o adversário, que partiu para cima do Bahia e, com autoridade, virou o placar. Alex Teixeira marcou o primeiro dos ucranianos aos 27, e Luiz Adriano decretou a virada dez minutos depois. Na comemoração, o atacante provocou o torcedor tricolor pedindo para que os presentes no estádio sentassem. Para o segundo tempo, os dois técnicos decidiram promover mudanças. Sérgio Soares modificou a equipe inteira. Mircea Lucescu foi mais modesto e realizou “apenas” sete substituições. Sem entrosamento, o Tricolor sofreu para acertar passes. Contudo, chegou ao gol de empate. Após chutão da defesa, a bola sobrou limpa para o atacante tocar na saída de Kanibolotskiy. Inspirado, Zé Roberto virou o placar a favor do Bahia. Aos 19 minutos, ele recebeu lançamento e chutou forte para vencer o goleiro do Shakhtar.

O Bahia ainda teve oportunidade de ampliar com Jeam, mas a defesa ucraniana levou a melhor no lance. No fim, alegria para a ressentida torcida tricolor, que, após um ano marcado pelo desgosto, começa 2015 com um belo e internacional cartão de visitas, além dos gritos de "olé".

Ficha Técnica: Bahia x Shakhtar Donetsk

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)

Data: 16/01/2015 Horário: 20h

Árbitro: Jailson Macedo Freitas Auxiliares: Jucimar dos Santos Dias e Paulo de Tarso Bregalda Gussen Gols:Rômulo, Alex Teixeira, Luiz Adriano, Zé Roberto Cartão Amarelo:Bruno Paulista, Adriano Alves Bahia: Omar (Douglas Pires); Railan (Gamboa), Adriano Alves (Robson), Titi (Lenine) e Pará (Raul); Feijão (Wilson Pittoni), Bruno Paulista (Jefferson Silva), Rômulo (Tchô) e Williams Santana (Jeam); Maxi Biancucchi (Zé Roberto) e Kieza (Mateus). Técnico: Sérgio Soares. Shakhtar: Pyatov (Kanibolotskiy); Ilsinho (Srna), Kryvtsov (Kucher), Rakitskiy (Ordets) e Ismailly; Fernando (Stepanenko), Fred, Wellington Nem (Marlos), Alex Teixeira,; Taison (Dentinho) e Luiz Adriano (Kovalenko). Técnico: Mircea Lucescu.










Fonte: Globo Esporte