Botafogo sai atrás, mas goleia Madureira e garante vaga no Campeonato Carioca

O Botafogo encerra sua participação na primeira fase do Campeonato Carioca no Engenhão, contra o Macaé, às 22h de quarta-feira, pela 15ª rodada

O Botafogo tomou um susto no primeiro tempo, mas conseguiu virar a partida contra o Madureira na etapa final e goleou o adversário por 4 a 1 a partida válida pela 14ª rodada do Campeonato Carioca, na tarde deste domingo, no Engenhão. O triunfo garantiu a presença do Alvinegro nas semifinais do Campeonato Carioca, enquanto o adversário lutará pela vaga na última rodada da primeira fase, contra o Fluminense.


Com a vitória, o Botafogo alcançou a liderança provisória da competição e também impediu o título da Taça Guanabara do Flamengo, já que o time de General Severiano segue na luta pelo troféu dado ao campeão da fase de classificação. O Alvinegro está com 33 pontos contra 32 do rival, que enfrenta o Fluminense às 18h30 deste domingo, no Maracanã.

O Botafogo encerra sua participação na primeira fase do Campeonato Carioca no Engenhão, contra o Macaé, às 22h de quarta-feira, pela 15ª rodada. O Madureira, por sua vez, tem marcado um duelo direto com o Fluminense pela última vaga nas semifinais do Estadual, na mesma data e horário, em Volta Redonda.

Fases do jogo:

O Botafogo começou a partida em alto ritmo, com marcação avançada e jogadas objetivas em busca do primeiro gol no Engenhão, mas sem conseguir ameaçar o goleiro rival. O Madureira também não se omitia e tentava sair para o ataque, mas esbarrava nos erros de passes.

Aos poucos, no entanto, o Madureira foi acertando seus contragolpes com toques precisos e se tornou mais perigoso que o Botafogo na partida. No lance mais agudo, aos 17min, Thiago Galhardo recebeu na direita e bateu cruzado para bela defesa de Renan. A precisão cada vez maior das jogadas em velocidade do time suburbano deixava perdida a zaga alvinegra.

O domínio do Madureira seria recompensado aos 31min, quando Galhardo lançou Rodrigo Pinho em velocidade em contra-ataque. O atacante driblou Renan e caiu após toque do goleiro, lance no qual o árbitro Luís Antônio Silva dos Santos viu pênalti. Com tranquilidade, Rodrigo Lindoso cobrou e abriu o marcador para o time do subúrbio carioca.

O gol impulsionou o Botafogo rumo ao ataque. O Alvinegro chegou a ter um pênalti não marcado sobre Bill, mas também levou susto em chute de Lindoso em outro contragolpe, desta vez parado pelo goleiro Renan.

Depois do sufoco do primeiro tempo, o Botafogo começou a etapa final um pouco mais organizado em campo. E, mesmo sem ser brilhante, o Alvinegro conseguiria resultados rapidamente: aos 10min, o lateral esquerdo Thiago Carleto encheu o pé em falta da entrada da área e empatou o placar no Engenhão.

Empolgado com o gol, o Botafogo partiu com tudo para cima de um Madureira ainda assustado com o crescimento do adversário. E o Alvinegro não deixou o bom momento passar em vão: aos 17min, Renan Fonseca aproveitou rebote após cabeçada de Willian Arão em cobrança de escanteio e marcou o segundo do time de General Severiano.

A liderança alvinegra no placar mudou de vez os contornos da partida, mostrando um Madureira mais frágil e menos perigoso que no primeiro tempo. O time suburbano ainda tentou o empate, mas foi o Botafogo que conseguiu o terceiro com o jovem Fernandes, aos 29min.

O terceiro gol praticamente definiu o confronto. O Madureira ainda tentaria uma reação, mas mostrava pouca força. Ainda restaria tempo ao Botafogo para marcar o quarto com Bill, novamente de pênalti, aos 42min, e completar o placar no Engenhão.

O melhor: Renan - Apesar de ter cometido pênalti no primeiro gol do Madureira, o substituto de Jefferson foi fundamental para que o Botafogo não sofresse mais gols na etapa inicial, quando foi massacrado pelo rival com contra-ataques perigosos.

O pior: Tomas - Apagado, o jogador foi pouco útil no ataque do Botafogo até ser substituído por Fernandes por opção do técnico René Simões no começo do segundo tempo.

Chave do Jogo: A mudança de postura do Botafogo no intervalo da partida. Após ser completamente dominado no primeiro tempo, o Alvinegro conseguiu se organizar na etapa complementar e rapidamente virou o placar no Engenhão. Sem a mesma facilidade para seus contragolpes, o Madureira acabou se mostrando pouco efetivo na segunda metade do duelo.

Para lembrar:

Série de empates – O Botafogo vinha de três empates consecutivos, contra Vasco, Barra Mansa (no Carioca) e Botafogo-PB (pela Copa do Brasil). Foi a maior sequência sem vitórias da equipe até aqui na temporada.

Madureira invicto – O time suburbano estava sem derrotas há 11 partidas. O Madureira, portanto, não saia perdedor de um jogo desde o dia 5 de fevereiro, quando foi superado pelo Vasco por 2 a 0 em São Januário.

BOTAFOGO 4 X 1 MADUREIRA

Data e hora: 5 de abril de 2015, às 16h (horário de Brasília)
Local: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Luis Antonio Silva dos Santos
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises e Jackson Lourenço Massarra dos Santos
Cartões Amarelos: Tomas, Bill e Thiago Carleto, Diego Giaretta e Elvis (BOT);

Botafogo
Renan, Gilberto, Alisson (Dankler), Renan Fonseca, Thiago Carleto; Diego Giaretta, Willian Arão, Tomas (Fernandes), Elvis, Jobson (Sassá) e Bill
Técnico: René Simões

Madureira
Jonathan, Formiga, Cardoso, Moisés (Luiz Paulo), Gilson, Ryan (João Carlos), Rodrigo Lindoso, Camacho (Bruno), Thiago Galhardo; Rodrigo Pinho
Técnico: Toninho Andrade.

 

Fonte: UOL