Carro da jogadora Marta capota com bebê dentro em acidente no interior de Alagoas

Ele disse que Marta, apesar de não ter se machucado, estava muito nervosa e chorava intensamente no caminho para o hospital.

A jogadora Marta sofreu um susto enorme na tarde deste sábado, quando ela perdeu o controle de seu carro e capotou em uma estrada estadual do interior de Alagoas. No carro, que ficou praticamente destruído, segundo o Corpo de Bombeiros, havia outras quatro pessoas, incluindo um bebê de dez meses.

O sargento Kelvânio de Farias, dos Bombeiros da cidade de Santana do Ipanema, participou do socorro à jogadora e seus amigos. Ele disse que Marta, apesar de não ter se machucado, estava muito nervosa e chorava intensamente no caminho para o hospital.

Nenhum dos ocupantes do veículo teve ferimentos graves e puderam sair sozinhos do carro, sem a necessidade do apoio dos Bombeiros ou das ambulâncias que os atenderam. De acordo com as informações obtidas pelos Bombeiros, Marta vinha dirigindo e não apresentava sinais de embriaguez.  

"O carro capotou e ficou praticamente destruído, a uns 20 ou 30 metros longe da estrada", afirmou o sargento Kelvânio. "Ela vinha rápido e perdeu o controle. A estrada ali [a AL-130] tem muitas ondulações, além de alguns animais poderem atravessar a qualquer momento."

"A Marta estava nervosa por causa da criança, mas estava tudo bem com todos. Um rapaz reclamava de uma dor no polegar e a Marta, de uma dor no ombro esquerdo, mas nada sério", afirmou o sargento.

Todos foram encaminhados ao hospital e, no caminho, Marta telefonou a amigos e familiares para avisar do acidente. Nessa hora, ela chorava bastante.

Já no hospital, a jogadora se acalmou e até tirou fotos com fãs, entre eles, o próprio Kelvânio. O acidente aconteceu por volta das 16h30. Todos já haviam sido liberados no começo da noite.

Marta é natural do estado de Alagoas, e atua hoje no futebol sueco. De férias, ela estava na cidade de Dois Riachos, conde vive sua família.


Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Uol